Festivais modernos

Feriados seculares:

₪ DIA DA TERRA - Geia está associada principalmente a juramentos, poderes oraculares e aos mortos. Neste dia, podemos fazer libações (não a do tipo 'spondê', que verte um pouco de um recipiente, mas a 'choe' que vira o recipiente inteiro, podendo ser inclusive colocado invertido no chão, pois este tipo de libação é para os deuses ctônicos). Também podemos ofertar símbolos de animais escuros e pão de centeio integral (pão preto). O aroma, segundo o hino órfico, é de incenso de olíbano, mas você pode usar velas escuras e café. Sugere-se também o Theobroma ("alimento dos deuses"), que é o nome científico de várias espécies frutíferas, como o cupuaçu (theobroma grandiflorum), o mocambo (theobroma bicolor), o cacauí (theobroma speciosum) e o cacau (theobroma cacao).

₪ DIA DAS MÃES - Segundo domingo de maio - As primeiras celebrações do Dia das Mães datam da Grécia Antiga, de festejos de primavera em honra de Reia, mãe dos deuses. Entre os olimpianos, a figura materna recai principalmente sobre Deméter, mãe de Perséfone. Também podemos lembrar de Leto, mãe dos gêmeos divinos (Ártemis e Apolo). Este dia você pode fazer ofertas a elas e também às mães dos seus deuses patronos ou de maior predileção. Você pode também ler o mito de Reia e prestar auxílio a gestantes. Este é o dia de homenagear a nossos ancestrais femininos: mães, avós e outras antepassadas mulheres.

₪ DIA DOS PAIS - Dia para honrar nossos ancestrais masculinos, como pais, avós e outros antepassados homens. Faça ofertas a Zeus Pater (Zeus pai), Zeus Meilikhios (Zeus gentil) ou Zeus Philios (Zeus amável).

₪ INDEPENDÊNCIA DO BRASIL - Faça preces a Zeus, participe de atividades sociais e cívicas.

₪ PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA - A vida civil, política e social era importante para os cidadãos na Hélada antiga. O caráter político e o caráter social da vida se misturavam constantemente ao aspecto religioso ou, o contrário, a vida religiosa atrelada à política fazia com que o homem valorizasse e desenvolvesse interesse por variadas formas de relações sociais. Saber das leis e vigiar a política e seus executores não apenas era um dever ou um exercício de cidadania, mas também um serviço religioso. Thêmis, além de ser a deusa da justiça, também teria inventado os rituais religiosos, os oráculos e as leis. Zeus e Deméter eram protetores da lei. As Eumênides cobravam o cumprimento das leis e puniam contravenções, especialmente o matricídio. Na data de Proclamação da República, buscamos lembrar os heróis responsáveis pela fundação do Estado em que vivemos e a criação de um espaço que posteriormente se transformaria no ideal de liberdade nos quais nossas crenças, junto às outras, poderiam florescer. Nesse dia, sugerimos que sejam honrados Athena Polia e Zeus Polieu, os deuses da pólis. Podemos visitar lugares históricos e fazer uma libação aos heróis do país ou da sua cidade.

 

Festivais criados pelos grupos:

₪ HELIOGENNA (Hellenion.org) - "Solstício" é uma palavra do latim, "sol-sistere" (sol parado), que é quando a elevação do sol não parece mudar. Para nós, é o tempo da "Heliogenna" (nascimento de Hélio). A Heliogenna em si é um festival moderno criado originalmente com 9 dias (18 a 26 de dezembro), proposto por Hector Lugo, em honra ao deus sol Hélio no solstício. Os 3 primeiros dias eram o pôr-do-sol, os 3 seguintes a noite e os 3 últimos o nascer-do-sol. Acenderia-se 8 velas, uma a cada pôr-do-sol, o segundo dia da segunda tríade cairia no solstício de inverno no hemisfério norte e por isso não se acenderia uma nova vela. As velas deveriam queimar até se extinguirem. De preferência em aparadores de vela com desenhos solares. O pôr-do-sol (primeiros 3 dias) era celebrado com relatos de Faetonte e sua morte. Queimariam-se velas amarelas e/ou laranjas nesses dias. A noite (3 dias seguintes) seria para honrar os mortos, e também Hades e Perséfone.  Helios estaria chorando pelo seu filho, então não se mencionaria ele nesse momento. Queimariam-se velas negras no primeiro e no último dia dessa tríade. O nascer do sol (últimos 3 dias) seria o retorno de Hélio das profundezas do Hades e um tempo de júbilo, quando se saudaria ele a cada romper do dia e se fariam preces e cantos a ele, acendendo velas amarelas e/ou laranjas. De qualquer forma, é um festival a ser realizado no solstício de dezembro, ou em data próxima. Pode ser feito em 9, 3, ou vigília de 1 dia. Se você for fazer em 3 ou 9 dias, é só fazer em ciclos. Segue o roteiro da vigília: 1) PÔR-DO-SOL: Honramos Hélio e seu filho mortal Faetonte. Acenda uma vela amarela comum e faça preces a Hélio. Escreva uma lista das coisas que aconteceram no ano que passou e queime o papel na vela em oferta ao deus sol. Relembre os contos de Faetonte, filho do sol.

As preces devem ser feitas em direção a oeste. Lembre do deus solar como tendo fechado as portas de seu palácio dourado para viajar em direção a leste. Ao final, Hélio deve ser lembrado como aquele que viu a abençoada Kore ser levada para o submundo. 2) NOITE: Aqui não cabem preces ou sacrifícios a Hélio, mas sim a Eos (a aurora) e Selene (a lua), Hades, Perséfone e Hécate. Acenda uma vela preta ou de outra cor escura, comum ou aromática. Leia os mitos de Selene, faça preces e ofertas a ela como a irmã do sol. Depois, honre os deuses ctônicos, principalmente Hades, Perséfone e Hécate. Ao fim da noite, honre a deusa Éos, a que conduz o caminho como a aurora que traz o sol. Nota: Em nenhum momento da noite mencione o nome de Hélio, nem nos ritos, nem nas preces e nem nos sacrifícios. Substitua-o por fórmulas como "Seu Divino Irmão" ou "O Brilhante" ou algo assim quando recitar mitos onde ele aparece relacionado aos deuses que estão sendo honrados. 3) MANHÃ: O nascer do sol é celebrado com alegria e felicidade. O sol triunfante se ergue dos portões do submundo, e as portas são abertas por Éos, a aurora. A vela é amarela, mas agora deve ter aroma de flores ou de essências temperadas, como promessa de um sol recém-nascido. Preces e esperanças p/o próximo ano são escritas no papel e queimadas na vela, em oferta ao deus sol. Primeiro as escritas p/vc, depois as para os familiares e amigos. Ao final, trocam-se presentes, encorajando-se as crianças a serem felizes e contentes; honrando família e amigos; e oferecendo-se comidas aromáticas aos deuses olimpianos e aos seus deuses patronos, como presentes a eles. Um banquete de agradecimento é ofertado, e a doação de comida aos pobres também é encorajada. Os mitos da Heliogenna estão aqui: http://sofalex.blogspot.com/2009/12/os-mitos-da-heliogenna.html

₪ HERAKLEIA (Ysee.gr) - Celebração em honra de Heracles Triesperos (três noites contínuas). A Herakleia se assemelha à Heliogenna, então pode-se seguir e descrição da mesma. O festival acontece no ano novo civil.

₪ PROMETHEIA (Ysee.gr) - Festival moderno realizado no solstício de verão do hemisfério norte. 1º dia - acender o fogo de Prometeu, assistir/realizar eventos artísticos, incluindo concertos musicais. 2º dia - eventos esportivos de corrida e de arremesso, leitura dos mitos de Prometeu e do "Prometeu Acorrentado" de Ésquilo. 3º dia - tambores, encenações, casamentos, pão e vinho, ofertas e banquete.

₪ KATALLAGEIA (NeosAlexandria.org) - Dias 05 e 06 do mês de Audenaios, nome macedônico do mês de Maimakterion. A Katallageia ("Reconciliação) celebra a reconciliação de Hefesto e Hera. No primeiro dia, Hefesto é banido do Olimpo, sua imagem fica oculta e todos os fogos são extintos e se evita a tecnologia, pois é como o mundo seria sem esse deus. Nenhuma luz é acesa, nem de vela nem de lâmpada elétrica. Toda a comida consumida nesse dia deve ser ingerida crua, sem o benefício do fogo. Tente evitar televisão, rádio, internet, coisas eletrônicas. Se possível, vá a pé para o trabalho. Passe o dia em meditação melancólica, pensando nas formas que o deus ferreiro impacta nossas vidas, e como seria horrível viver sem ele. Então, por volta da meia-noite, traga a imagem de Hefesto para fora do seu esconderijo: apresente-o diante da imagem de Hera e verta libações de vinho, já que Dioniso é quem facilitou a reconciliação dos dois. Ligue todas as luzes da casa e celebre o alegre retorno de Hefesto com ofertas a ele, a Dioniso e a Hera.

₪ ANADIKIA (Neokoroi.org) - A Anadikia ("Renovação da Ação") se volta para as divindades da natureza e é focado em Pã. Idealmente é realizado na natureza ou num ambiente bucólico, como parques, ou mesmo um jardim. O ritual envolve construir ofertas votivas, montar um altar às divindades da natureza, fazer libações e um banquete. Perto de rios, faça ofertas às Naiades. Perto do mar, às Nereidas. Alguns grupos helênicos costumam celebrar o Anadikia no Ano Novo Ateniense. Nessa celebração, se honram os deuses olimpianos de manhã, os deuses e daimones da natureza de tarde, e os deuses ctônicos do submundo à noite.

₪ PHILOKORIA (Cataleos.org) - O Philokhoria foi criado por Thista Minai, do 'Temple of Artemis at Cataleos', nos EUA. Trata-se de uma celebração no solstício de verão no hemisfério norte, que incorpora um mito contado por Calímaco. No mito, Ártemis dança de uma forma tão linda que Hélio pára no céu para assistir e é por isso que os dias ficam mais longos. No festival, há uma dramatização do mito que inclui um final moderno, no qual os outros deuses procuram encontrar um jeito de fazer Hélio retornar ao seu curso normal. Alguns helênicos americanos sugerem que celebremos esse festival com hinos convidando Ártemis e Apolo, seguidos de jogos e dança e, se possível, também com a dramatização do mito, que pode ser com o uso de bonecos/fantoches/marionetes. Honra-se então Apolo, Ártemis, Hélio, as ninfas e as musas com ofertas.

₪ CÍRCULO APOLÍNEO (KyklosApollon.net) - Ritual a Apolo todo fim de semana, seguindo o grupo do Kyklos Apollon. A ser realizado no nascer do sol em Delfos, que, em horário brasileiro, cai aproximadamente à meia-noite e alguns minutos do sábado para o domingo. O grupo deles nas redes sociais: https://www.facebook.com/groups/282697145188966/

₪ DOZE DIAS DIONISÍACOS (HellenicGods.org) - Os Doze Dias de Dionísio são comemorados a partir do pôr-do-sol de 24 de dezembro a 04 de janeiro. O ponto mais importante desse ritual é que Dionísio é um deus libertador, que não quer te prender a nada. É um ritual para se libertar e libertar os outros e esperar que eles libertem terceiros, a fim de procurarmos ser todos livres e independentes. A proposta original em inglês encontra-se aqui: http://www.hellenicgods.org/Twelve-Days-of-Dionysos , mas sugerimos outra configuração (os hinos se encontram no Hinário, em página específica):

 

DATA     DEUSES               HINOS ÓRFICOS
Dez. 24   Héstia e Hefesto    29, 30, 47, 49, 53
Dez. 25   Ártemis e Apolo     30, 46, 47, 49, 52
Dez. 26   Apolo e Hermes     30, 45, 46, 47, 52
Dez. 27   Hefesto e Atena     30, 46, 47, 53, 54
Dez. 28   Hera e Zeus           29, 30, 42, 44, 48
Dez. 29   Poseidon e Atena   42, 46, 53, 54, 75
Dez. 30   Ares e Deméter      29, 30, 47, 50, 75
Dez. 31   Afrodite e Ártemis   30, 42, 49, 54, 74
Jan. 01    Hermes e Afrodite   30, 45, 52, 54, 74
Jan. 02    Deméter e Ares      29, 30, 47, 50, 75
Jan. 03    Zeus e Hera           29, 30, 42, 44, 48
Jan. 04    Poseidon e Héstia  30, 42, 49, 54, 75

₪ LIBAÇÕES MENSAIS DA HELLENION: Janeiro – Hera /  Fevereiro – Afrodite / Março – Hefesto / Abril – Ártemis / Maio – Apolo / Junho – Zeus / Julho – Atena / Agosto – Hermes / Setembro - Deméter e Perséfone / Outubro – Poseidon / Novembro – Ares / Dezembro – Dioniso.

​​​Alexandra Oliveira ​© 2020 | Desde março de 2003.

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

reconbr@gmail.com

Curitiba/PR | Brasil

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca ícone do YouTube