Home‎ > ‎Transições‎ > ‎

Exemplo de Rito para Rapazes

Nossos ritos de passagem para os rapazes têm muitos paralelos com os dos antigos atenienses. Aos 18 anos, se pode votar (participar de uma assembleia) tomar bebidas alcoólicas (participar de um simpósio), dirigir e servir ao exército (se alistar na cavalaria, infantaria e afins). Só nos falta adicionar um elemento religioso a esses ritos seculares. Segue uma sugestão do livro "Old Stones, New Temples", traduzida e adaptada pela Alexandra.

Ao atingir os 18 anos, o rapaz pode fazer um juramento ou voto diante de um altar, ou simbolicamente diante: da mesa onde ele foi se alistar, do guichê do Departamento de Trânsito, ou da cabine de votação. Pode-se fazer isso em nome de Apolo, dos seus deuses patronos, ou dos pais, ou de seus heróis pessoais. 

- Oficiante: Hoje estás aqui diante de nós, [Nome], não mais uma criança. Alguns aqui lhe carregaram na sua Amphidromia, ouviram seu nome pela primeira vez na Dekatê, prometeram te proteger e te amar como um membro da família, como amigo e como heleno. Agora és um homem, dono de suas próprias ações, responsável por suas palavras e atos. Então lhe perguntamos: quem você é e qual a sua vontade?

- Efebo: Sou [Nome], de [Nome da pólis ou outra alcunha pela qual é conhecido]. Como vocês me protegeram, é a minha vez de protegê-los. Não usarei minhas armas em vão, nem abandonarei os companheiros a meu lado; defenderei as coisas sagradas, e procurarei deixar para o mundo um país maior e mais forte, enquanto estiver em minhas mãos fazer isso, com a ajuda de todos. Obedecerei a aqueles que governarem prudentemente e às leis que forem sabiamente estabelecidas. Que sejam testemunhas [citar os deuses patronos e outros que julgar relevantes], as fronteiras da nação, o trigo, a cevada, o vinho, o azeite e a figueira.

O rapaz é presenteado com um símbolo da responsabilidade adulta, como chaves ou a carteira de motorista ou o título de eleitor, e com uma cópia da Ilíada.

- Oficiante: Agora curve sua cabeça para fazer seu sacrifício aos deuses.

O rapaz se curva diante do oficiante, que corta uma mecha de seu cabelo. A mecha é colocada no altar. 

- Oficiante: [Nome], és bem-vindo entre nós, como heleno e como homem. Que você possa caminhar sabiamente e de forma justa no mundo, trazendo honra ao seu nome e aos seus deuses.

- Todos: Ésto! (Assim seja!)

Fazem-se ofertas aos deuses patronos, seguidas por um banquete.

Comments