Home‎ > ‎Transições‎ > ‎

Cerimônia de Casamento

Cerimônia Contemporânea de Casamento
do Supremo Conselho dos Gentis Helenos (YSEE)


Solicitações:
• Apenas um único sacerdote ou sacerdotisa deverá presidir a cerimônia;
• Um altar;
• Coroas de flores para o altar;
• Dois pares de tochas (um par para cada procissão nupcial ao altar);
• Uma cesta de pétalas de flores e grãos para as damas de honra (kanyphoros);
• Mel e nozes (para serem oferecidos à mãe do noivo ou outra mulher designada para atuar nessa função);
• Dois pequenos rolos de pão de todos-os-grãos (carregados pelo Paranymphos);
• Um tripode de sacrifício para o fogo do altar;
• Um galho fino e inflamável;
• Uma vasilha com água;
• Um cacho do cabelo da noiva;
• Libação e vasilha para libação (e pequenos jarros para despejar as libações);
• Uma fita dourada.

Cerimônia:
Entrada – O sacerdote/sacerdotisa fica de pé em frente do altar decorado de flores. A noiva e o noivo juntos, com seus cortejos separados, prosseguem na direção do altar de direções opostas. A procissão da noiva é conduzida por um tocador de flauta seguido por um par de carregadores de tocha depois dos quais caminha uma jovem garota carregando um cesto de pétalas de flores e grãos. A noiva caminha atrás da jovem garota, escoltada por seu pai ou outro amigo do sexo masculino ou membro da família que for escolhido para escoltar a noiva. A procissão do noivo é conduzida por dois carregadores de tocha seguidos pelo noivo e o Paranymphos (padrinho). Quando a procissão alcançava o altar, todos estavam organizados de forma a ficarem de frente para o altar, com o sacerdote/sacerdotisa e o paraninfo no centro. À direita do paraninfo está a noiva com seu par de carregadores de tocha, o flautista e a jovem garota com o cesto, afastados em um canto discreto.

Abertura – O sacerdote ou sacerdotisa acende o fogo do altar e chama os deuses:
"Venham, deuses ancestrais, deuses dos helênicos; Nós chamamos Hymeas; Aproxime-se de nós com um propósito em comum; Ilustres imortais, entrem em comunhão conosco; Através do fogo e do Submundo; Da água e do ar e do Olimpo."
O sacerdote/sacerdotisa acende o ramo inflamável do fogo do altar e extingue as flamas do galho na tigela de água, criando assim a água sagrada.

'Progamia' ou 'Protelia'
A noiva pega um cacho de seu cabelo e coloca no altar. A noiva e o noivo simbolicamente lavam seus rostos com a água sagrada. A noiva agora faz uma prece à deusa Ártemis e às Moiras (Destinos):
"Ouça-me, famosa filha de Zeus; A que vaga pela noite, a nutridora; Deusa modesta e ilustre; Virgem acessível, venerável rainha de tudo, espírito que cuida das crianças; Amiga das jovens e das virgens; Tu, a que porta a luz; Tu, que és a pura; Ouçam-me também as renomadas Moiras do ar; Celestiais filhas da Noite fecunda; Veneráveis provedoras da Prudência e Esperança; Invisíveis e inalteráveis deusas; Ouçam-me e venham até mim com benevolência e de bom humor; Mantenham a tristeza e o pesar bem longe."
[ Hino a Ártemis ]

A mãe do noivo oferece mel e nozes à noiva. Os convidados reunidos gritam “Abençoada, abençoada, abençoada!” ou, em grego antigo (Makaria,Makaria, Makaria). O paraninfo oferece os dois pães de todos-os-grãos à noiva e noivo. O sacerdote/sacerdotisa faz uma prece a Hera e Zeus:
"Imortal e muito honrado Zeus, rei portador do cetro; Começo de tudo; Tu que trazes o crescimento e a ordem; Guardião multi-formado da vida mortal; e Hera, rainha de tudo, deusa abençoada, a mais alta, a nutridora de almas; Senhora das noivas, entre em comunhão conosco e aceite estas ofertas; Conceda o conforto, a felicidade e uma vida próspera a teus adoradores, assim como a esta noiva e noivo conceda a completa paz, saúde e fidelidade."
[ Hino a Zeus e Hera ]

A noiva e noivo oferecem os pães no altar. O sacerdote ou sacerdotisa amarra os pulsos da noiva e do noivo juntos com a fita dourada e diz a bênção:
"Possam os deuses ser os protetores fixos da sua vida de casados; Possa a vida de vocês ser feliz, com bondade e paz; E possa cada um de vocês ter aquilo que possam desejar."
Flores e grãos do cesto são passados entre os convidados. O casal, junto com o paraninfo, circula na frente dos convidados que arremessam neles as pétalas e grãos. Enquanto circula com a noiva e o noivo, o Paranymphos grita:
"Sejam prósperos, sejam prósperos, sejam prósperos!" (Ou, em grego antigo, 'evthemones' x 3 – que se pronuncia ‘ev-the-mon-es’.)
Esse grito é repetido pelos convidados.

Quando retornam ao altar, o casal recita o Hino às deusas Afrodite e Peitho (Persuasão). A recitação deste hino pode ser acompanhada pela flauta:
Noiva: Mãe celeste, nascida do mar;
Noivo: Decoradora de noivas, espírito de muitas aparências;
Noiva: Noturna, astuta rainha;
Noivo: Muito desejada, a que subordina, mãe do destino (Moiragetis);
Noiva: Sagrada mãe da Necessidade (Anankê) e do Amor (Eros);
Noivo: Adoradora de homens, deusa, eterna de Chipre;
Noiva: Grande deusa Peitho, amiga e guia dos mortais;
Noivo: Modesta e doce, de ti se erguem todos os costumes e tradições;
Noiva: Mutável, criativa, fortaleza de sabedoria;
Noivo: Portadora de saúde, benevolente padroeira de todos;
Noiva: Venham para nossas vidas, Abençoadas;
Noivo: Campeãs invisíveis de nossos lares;
Noiva: Gentil e serena graça;
Noivo: Que traz bênçãos e presentes;
Noiva: A vida é suportada por vós;
Noivo: Vós sois benevolentes aos mortais.
[ Hino a Afrodite e Peitho ]

Uma libação é vertida (de óleos perfumados). A noiva agora recita o Hino à Deusa Héstia.
"Héstia, rainha, filha do todo-poderoso Cronos; Tu, a magnífica detentora do fogo eterno do lar central; Eleve os sagrados iniciados em suas cerimônias; Torne-os sempre vicejantes; Feliz, contente e pura; Ó habitação dos deuses abençoados, suporte estável dos mortais; Perpétua, de muitas formas, muito desejada, radiante, sorridente, abençoada; Aceite estes sacrifícios de boa vontade; Inspire-nos com felicidade e saúde gentil."
[ Hino a Héstia ]

Insira questões legais que forem solicitadas aqui. A noiva e o noivo ficam de pé juntos e fazem a seguinte declaração, também juntos:

Declaração:
“Na presença dos deuses e de nossos ancestrais, eu …………………………… e eu …………………………… fazemos uma declaração de honra; de viver uma vida de concordância, amizade, respeito mútuo e devoção um ao outro; Como companheiros e amantes em um corpo, uma alma, um lar; Até que Thanatos (a morte) venha nos separar.”

O sacerdote ou sacerdotisa declara o casal legalmente casado e os papéis necessários são assinados e testemunhados.

Depois que os papéis forem assinados, o sacerdote/sacerdotisa fica de pé diante do altar para o fechamento:

"Saudações aos Abençoados; Saudações aos Eternos Deuses Ancestrais; Estendam vossa Luz Sagrada sobre seus devotos adoradores; A fim de dispersar todo o sofrimento, doença e desastres; Até o fim da terra."

O sacerdote/sacerdotisa então declara a cerimônia encerrada.

(Traduzido por Alexandra Nikaios)



Exemplo de casamento realizado pelo grupo grego Labrys:


Comments