Home‎ > ‎Ortopraxia‎ > ‎

Cerimônia Maior de Consagração de Ferramenta


Η Μείζων Εργαλείο Τελετε (He Meízon Ergalío Teletê)
- Cerimônia Maior de Consagração de Ferramenta -
- por Alexandra Nikaios -


Este é um ritual de consagração moderadamente complexo para usar quando o objeto precisa de purificação extensa (por ter sofrido miasma) ou de um carregamento extraordinário de poder (como no caso de algo que será usado com muita frequência ou que será utilizado em um rito de passagem). Em geral, ele é adaptável, e seu efeito pode ser aumentado ao ser escolhido um dia mais propício para sua realização, de acordo com a finalidade/situação em questão.


I. Material necessário (verifique os procedimentos no caso de dúvidas)

* Sal ou ervas aromáticas
* Água lustral ou azeite extra-virgem ou óleo de mirra (ou de canela ou de lírios)
* Incenso (olíbano, mirra, resina de pinheiro, benjoim, sálvia, ou da deidade correspondente)
* Vela ou outro fogo de altar
* Ramos de videira ou de oliveira
* Ramo de louro para a aspersão

II. Procedimentos

  • A. Preparação
  • B. Consagração - Kathierosis (καθιέρωσης)
  • C. Empsicose - Empsukhosis (ἐμψύχωσις)


A. Preparação

* Pessoal

Tome banho, vista uma roupa limpa. Faça um ritual de purificação em você ou pelo menos esteja em abstinência de sexo, carne, comida crua e bebida alcoólica no dia. [PGM IV, 26 e 52]

* Ferramenta

O objeto é confeccionado antes da consagração; se for entalhada com símbolos, isso já é para ter sido feito. Caso acrescente novos traços depois, prepare água lustral ou azeite passado na chama do fogo de Héstia e unte o desenho com ela/e.


B. Consagração - kathierosis (καθιέρωσης)

O propósito do Kathierosis (kat = separar, hiero = sagrado) é purificar o objeto para seu propósito devocional (dedicá-lo ao serviço sagrado), imergindo-o em substâncias que representem os elementos.

1. Prepare o altar com o material necessário e as imagens/símbolos das deidades. (Os deuses das ferramentas são Atena e Hefesto, mas você pode incluir os deuses referentes a cada objeto, como Apolo para um instrumento musical, Ares para uma arma branca, Hera para uma aliança de compromisso etc.)
2. Tenha as ferramentas a serem consagradas em cima ou perto do altar.
3. Acenda e consagre a vela a Héstia. (Isto se faz recitando um hino homérico a Héstia com a mão sobre a chama, de preferência em grego.)
4. Transforme a água em água lustral (khernips). (Isto se faz com um ramo aceso na chama da vela consagrada, que é encostado na água ao se dizer ‘Kherniptomai – que esta água seja purificada pelo fogo sagrado’.)
5. Acenda o incenso junto aos ramos de oliveira ou videira.
6. Para cada objeto, repita o seguinte procedimento:
 a) Passe a ferramenta através ou sobre as chamas do altar, dizendo:
"As ardentes chamas queimam fora tudo o que é impuro.
Que, em nome de Zeus, tu sejas purificada/o pelo Fogo!"
 b) Segure-a na fumaça do incenso e diga:
"As brisas olimpianas sopram longe toda a mancha.
Que, em nome de Hera, tu sejas purificada/o pelo Ar!"
 c) Mergulhe o objeto na água lustral ou em um óleo de mirra, de canela ou de lírios. [PGM IV, 475; V,213; VII, 628] Se a imersão não for apropriada, use um ramo de louro para aspergir a água ou o óleo sobre ele. Diga:
"As águas do oceano lavam fora toda a mácula.
Que, em nome de Poseidon, tu sejas purificada/o pela água!"
 d) Cubra o objeto com lama de rio ou salpique sal ou ervas aromáticas nele. [PGM VII, 429] Diga:
"O solo fértil da Terra renova todas as coisas.
Que, em nome de Deméter, tu sejas purificada/o pela Terra!"
 e) Medite na ferramenta, sua história, construção, propósito, como chegou às suas mãos, sua pretensão para ela; concentre-se no processo do que está sendo purificado neste ritual.
 f) Erga a ferramenta, aponte para ela com o polegar unido ao indicador, e diga:
"Agora tu estás purificado/a por todos os elementos
Para servir aos deuses em resposta às minhas intenções.
Eu te consagro pelos divinos nomes dEles e por este sinal sagrado."
OBS.: Se quiser aumentar ainda mais a purificação do objeto, deixe-o agora enterrado ou imerso por 7 dias antes de dar procedimento ao ritual. [PGM V, 213]


C. Empsicose – Empsykhosis (ἐμψύχωσις)

O propósito da Empsykhosis (união da alma e do corpo) é o de "animar" (dotar de alma) a ferramenta física.

1. Preparação:
Se não for a continuação do ritual precedente, acenda a chama do altar e a consagre a Héstia. Transforme também a água em lustral.
2. Altar com ofertas [PGM IV, 2134; XII, 14]:
* Cubra a mesa com um pano limpo.
* Coloque flores da estação ou pinhas nela.
* Coloque na mesa a comida a ser oferecida; como pão, bolos e pratos doces.
* Acenda velas de qualquer cor. Use óleo de lírios (ou de mirra ou de canela) para untá-las.
3. Fique de pé diante do altar, de preferência virado/a para o leste.
4. Queime incenso (olíbano, mirra, resina de pinheiro, benjoim, sálvia, ou da deidade correspondente) junto a um ramo de videira untado de vinho ou um ramo de oliveira untado com mel. [Graf (1991), 191; PGM V, 213]
5. Faça ofertas [PGM XII,201; Graf (1991), 195 e 212 (nota 59)]:
* Para os deuses olimpianos, queime um pouco de bolo, pão etc (e depois coma o resto).
* Para deuses ctônicos, queime as ofertas completamente.
6. Se for o caso, desenterre ou remova a ferramenta de sua imersão; se não, apenas segure-a. Borrife a si mesmo com a água lustral. [PGM V, 213]
7. Verta uma libação a os deuses:
Vinho misturado (aos deuses olimpianos) ou não misturado (às deidades ctônicas), leite, mel, água de chuva e/ou óleo de oliva. [PGM IV, 2145; XII, 201; XIII, 734; Graf (1991), 195-6)]
8. Invocação
Aqui, os nomes dos deuses, seus epítetos e funções são recitados. [Graf (1991), 189] Tanto Atena quanto Hefesto quanto Hermes ou os três são apropriados para uma consagração de ferramenta, mas outros podem ser invocados em acréscimo ou no lugar desses. Diga:
"Ouçam-me, (nome dos deuses)!
Para Atena:
ΠΑΛΛΑΣ ΑΘΕΝΑ ΑΤΡΥΤΩΝΗ ΓΛΑΥΚΩΠΙ ΕΡΥΣΙΠΤΟΛΙ ΟΒΡΙΜΟΡΑΤΡΗ ΠΑΡΘΕΝΕ ΠΤΟΛΙΠΟΡΘΕ ΑΡΕΙΑ ΓΟΡΓΟΡΙ ΕΡΓΑΝΕ ΥΓΙΕΙΑ ΠΡΟΝΟΙΑ ΑΛΑΛΚΟΜΕΝΕ ΗΦΑΙΣΤΙΑ ΑΓΕΛΕΙΑ ΠΟΛΙΟΘΧΕ ΔΕΣΠΟΙΝΑ ΦΙΛΗ !
Pallás Athêna Atrytônê Glaukôpi Erusíptoli Obrimopátrê Parthéne Ptolíporthe Áreia Gorgôpi Ergáne Hygíeia Prónoia Alalkoménê Hephaístia Agheleía Polioukhe Déspoina Phílê!
(Palas Atena Incansável De-olhos-brilhantes Protetora-da-cidade Filha-de-pai-poderoso Donzela Saqueadora-de-cidades De-Ares De-rosto-de-Górgona Trabalhadora Saúde Providência Proteção De-Hefesto Ajuntadora Guarda-da-cidade Amada Senhora!)
Para Hefesto:
ΚΥΡΙΕ ΗΦΑΙΣΤΕ ΛΗΜΝΙΕ ΑΜΦΙΓΥΗΕΝ ΤΕΧΝΗΕΝ ΠΕΡΙΚΛΥΤΕ ΑΙΘΑΛΟΕΝ ΠΥΡΣΟΦΟΡΕ ΚΛΥΤΟΤΕΧΝΕΣ !
Kýrie Hêphaiste Lêmnie Amphiguêen Tekhnêen Períklute Aithalóen Pursophóre Klutotékhnes!
(Senhor Hefesto De-Lemnos Duplamente-coxo Habilidoso Famoso Coberto-de-fuligem Portador-do-fogo Famoso-pela-arte!)
Para Hermes:
ΚΥΡΙΕ ΗΕΡΜΗ ΑΡΓΕΙΦΟΝΤΑ ΧΡΘΣΟΡΡΑΠΙ ΕΥΣΚΟΠΕ ΠΟΜΠΑΙΕ ΚΥΛΛΗΝΙΕ ΔΙΑΚΤΟΡΕ ΔΟΛΟΜΗΤΙ ΕΜΠΟΛΑΙΕ ΑΓΟΡΑΙΕ ΕΡΕΙΟΘΝΙΕ !
Kýrie Hermê Argeiphónta Khrysórrhapi Eýskope Pompaie Kullênie Diáktore Dolómêti Empolaie Agoraie Erioýnie!
(Senhor Hermes Matador-de-Argos Do-cajado-dourado Observador Guia Cileno Mensageiro Astuto Interessado-no-trânsito Da-ágora Que-traz-sorte!)
9. Argumentação
Na Argumentação o/a deus/a é encorajado/a a ajudar quando, por exemplo, se recitam votos passados ou futuros que foram cumpridos pelo suplicante, ou casos nos quais o/a deus/a ajudou de formas semelhantes. Mitos relevantes podem ser recontados. Pode-se fazer a recitação dos epítetos em pronúncia antiga. [Graf (1991), 189 e 191-2] Diga, por exemplo:
"Eu mencionei teus símbolos e epítetos,
então podes me ouvir, pois minha prece é para ti.
Se alguma vez cumpri meus votos ou queimei a ti
doces bolos e incensos, ouça-me agora,
e ajuda-me novamente como sempre tens me ajudado!"
10. Preces
Aqui é quando os pedidos são feitos à deidade. [Graf (1991), 189]
11. Convite
Repita à vontade:
ΕΛΘΕ ΜΟΙ (Elthé moi!) - Venha a mim!
ΔΕΥΡΟ, ΜΑΚΑΡ (Deuro, Mákar!) - Mais perto, ó Abençoado!
ΧΑΙΡΕ, ΘΕΑ (Khaire, Theá!) - Salve, deusa!
ΧΑΙΡΕ, ΘΕΟΣ (Khaire, Theós!) - Salve, deus!
ΧΑΙΡΕΤΕ, ΘΕΟΙ (Khairete, Theoi!) - Salvem, deuses!
ΙΛΗΘΙ (Hílêthi!) - Sê gracioso! (normalmente dito com uma libação)
ΙΛΗΤΕ (Hílête!) - Sede graciosos! (normalmente dito com uma libação)
12. Solicitação [PGM XII, 270]
Enquanto continua a oferecer libações e queimar incenso, diga:
"Eu vos chamo, grandes deuses, e através de vós nos elementos,
que vós possais conceder tanto divino poder
quanto suprema força a esta minha ferramenta,
e torná-la poderosa e potente agora!
Eu vos peço, ó poderosos deuses,
que tornem esta consagração perfeita e completa!"
13. Empsukhosis 1: O Sopro
Agora leia estas palavras antigas:
ΗΦΑΙΣΤΟΝ Δ'ΕΚΕΛΕΥΣΕ ΠΕΡΙΚΛΥΤΟΝ ΟΤΙ ΤΑΧΙΣΤΑ ΓΑΙΑΝ ΘΔΕΙ ΦΘΡΕΙΝ, ΕΝ Δ'ΑΝΘΡΩΠΟΥ ΘΕΜΕΝ ΑΘΔΗΝ ΚΑΙ ΣΘΕΝΟΣ
Hêphaiston d' ekéleuse periklutòn hótti tákhista gaian hýdei phýrein, en d' anthrôpou thémen audên kaì sthénos
“Ele disse a Hefesto, o bem-renomado, para banhar a terra
com água rapidamente, para acrescentar tanto voz humana
quanto força.” (Hesíodo, ‘Os Trabalhos e os Dias’, 60-2)
E assim eu peço ao deus das artes e ofícios para, por favor,
inspirar esta coisa inerte com vida e força!"
14. Empsukhosis 2: Os Portões [37]
Erga o objeto alto e diga:
"Deuses imortais! Atendei minhas preces e concedei-me
que eu possa prencher com espírito esta ferramenta.
Athanatoi! Deuro Makaroi! - Imortais! Mais perto, Abençoados!
Os portões da terra estão abertos!
Os portões do mar estão abertos!
Os portões do céu estão abertos!
Os portões do sol e da lua
e de todas as estrelas estão abertos!
Meu espírito foi ouvido por todos os deuses,
Então dê agora espírito a este objeto que fiz,
ó Deuses graciosos os quais chamei.
Dêem sopro a isto, o mistério que confeccionei!
15. Empoderamento
Nos tempos antigos, o Deus da Destreza dava ferramentas aos mortais - inclusive Agamenon, que “se levantou com o bastão em sua mão, o qual Hefesto habilidosamente confeccionou.” (Ilíada II, 101/39) Abaixe o objeto até a frente da sua boca e diga:
“Assim como os deuses sopraram vida em mim,
Eu também virei as rodas do Destino em ti!”
16. Encargo
Erga o objeto no alto com uma mão, aponte para ele com o polegar e indicador unidos da outra mão, e diga:
“Eu te encarrego pelos poderes das deusas e deuses,
pelo sol, lua e estrelas, pelo fogo, água, terra e ar,
para servir as deusas e deuses através de mim.
Eu te consagro pelos nomes de Atena, de Hefesto [e de...].
Ésto! (Assim seja!)”
17. Liberação
Verta uma libação final e diga:
"Eu vos agradeço, ó deuses, por mais esta ajuda graciosa
e pelo poder colocado neste objeto que aqui tenho.
Aceitai meus agradecimentos e, por favor, sede gentil comigo,
pois irei amar e para sempre honrar a vós."
18. Encerre o ritual da maneira que estiver habituado.

III. Referências

# PGM = Papiros Mágicos Gregos -> Betz, Hans Dieter (1992) The Greek Magical Papyri in Translation, Including the Demotic Spells, 2nd ed. Chicago: Univ. of Chicago Press, 1992.
# Graf -> Graf, Fritz (1991) Prayer in Magic and Religious Ritual. In Magica Hiera: Ancient Greek Magic and Religion, ed. by Christopher A. Faraone & Dirk Obbink. New York & Oxford: Oxford University Press, 1991.
# Sugestões adaptadas das de -> Apollonius Sophistes (1996) em Biblioteca Arcana - http://www.cs.utk.edu/~mclennan/BA/ .

IV - Notas:
a) A mão fechada e a união do polegar com o indicador era um símbolo antigo de proteção, encontrado em túmulos (principalmente egípcios) entre 2400 e 1800 AEC, normalmente apontando para animais em momentos nos quais se pretendia protegê-los de alguma coisa. Assim:


b) O Ritual de Purificação ideal a ser feito como preparação pessoal é o explicado no site: clique AQUI para ver.
c) Quando digo "acenda o incenso junto aos ramos de oliveira ou videira" é ou para queimar a erva em um turíbulo e o incenso em um incensário ou para simplesmente deixar o incenso perto dos ramos, se teu incenso é de palitinho. Na verdade, o ideal seria ter incenso de tabletinho para queimar no carvão junto com os raminhos.
d) As ofertas que forem para os olimpianos você divide com eles, as que forem para os ctônicos vc queima tudo. Se for a mesma oferta, reparta antes e diga para quem vai o quê.

--- EDITADO ---

Veja nesse relevo antigo a postura de mão da qual falamos:


Comments