Home‎ > ‎O que é?‎ > ‎

Guia Rápido para o Iniciante

Perguntas a fazer quando se deseja ser um heleno:

1) Qual meu nível de interesse?
Ser reconstrucionista exige leitura e prática correta. Você está disposto a dedicar parte do seu tempo para ler e fazer rituais, e parte do seu dinheiro para comprar livros e estatuetas e outros suprimentos? Se não, pense bem por que está aqui.

2) Que tipo de heleno quero ser?
Não existe um único caminho para os deuses. Se alguém lhe disser que você tem que ser de uma escola filosófica específica para ser considerado esperto ou sofisticado, ou que você tem que praticar uma forma específica de misticismo para se aproximar dos deuses, ou que você tem que ser etnicamente grego pros deuses gostarem de você, ou que você tem que adotar um estilo de vida e uma posição política específica para ser helênico, não acredite nessas pessoas! Elas só querem fortalecer o reconhecimento daquilo que elas mesmas escolheram, e - quando você não dá isso a elas - elas te tratam como inferior. Isso porque elas precisam mais de você do que você delas.
Os caminhos podem variar de: alguém que estuda e honra os deuses em geral sem adotar nenhum ponto de vista em especial, alguém que adota uma abordagem filosófica em particular para se aproximar dos deuses, alguém que praticam uma forma de misticismo conectado a uma deidade em particular que eles reverenciam, e ainda outros caminhos possíveis.
A não ser que você já saiba o que quer desde o começo, comece sendo generalista (simplesmente estudando e seguindo suas devoções), depois você pode ou não desenvolver um foco especial depois de entender como as coisas funcionam.

3) Como sei se estou no grupo/lista/fórum/organização certo?
Os administradores falam como se eles estivessem sempre com a razão e incapazes de serem questionados? Eles têm um ar de autoridade e insistem que são mais espertos do que todo mundo ou mais próximo dos deuses que o resto? Eles têm um séquito de 'beatos' que elogiam tudo o que eles fazem e criticam os que discordam deles? Eles agem como se sempre precisassem estar no centro das atenções, fazem drama e insultam quem não for da panelinha deles? Se sim, isso é uma seita. Caia fora correndo, agora.
Fora isso, observe o tom geral da lista. Eles respondem educadamente suas perguntas sinceras? Eles parecem amistosos e prestativos? Se você tem um ponto de vista particular da religião, eles compartilham dele ou pelo menos o toleram?
Saiba, porém, que os helenos são argumentativos e bem instruídos. Se você der informação histórica inconsistente, eles vão lhe corrigir. Se você tentar se passar por um especialista quando claramente não é, espere ser incomodado com um monte de perguntas bem-merecidas!

4) Que deuses devo cultuar?
Não entre em pânico quando ver pessoas falando de suas deidades favoritas e patronos. Se você não sabe as suas, não se preocupe, você não precisa ter favoritos. Há quem não tenha patrono, e mais ainda há quem tenha mais de um patrono. Isso a gente só descobre depois de um tempo dentro da religião e de realizar com muita profundidade estudos sobre os deuses. 
Há 12 Olimpianos, há deidades menores, e há semideuses. Os patronos mais populares são Apolo, Hermes, Dionísio, Atena, Afrodite, Ártemis e Hécate, mas existem tantas possibilidades que você não precisa procurar só entre os mais conhecidos. 
Quando você estudar bastante sobre os cultos, mitologias, atributos e representações artísticas dos deuses, você vai achar um ou mais que se conectam com você. Se você não achar absolutamente nenhum, talvez deva considerar que não está no panteão certo.
A deidade a quem é mais fácil de nos aproximarmos é Héstia, ela é gentil e não exige mais do que uma vela acesa e uma prece rápida. Se estiver confuso, comece por ela.

5) E os outros panteões?
Há deuses estrangeiros comumente associados com o Helenismo, como a frígia Cibele, a egípcia Ísis e outros. Não é proibido cultuá-los, mas isso deve ser feito fora do contexto helênico, o que exige que você explore o paradigma cultural daquela deidade em particular. Ou seja, se você quiser cultuar Odin, não espere que os helenos te ajudem a dizer como se faz isso, você tem que aprender com um nórdico como se deve abordar propriamente Odin. Se você cultuar Odin com uma postura helênica, você vai desagradar tanto os helenos quanto os nórdicos, e até o próprio Odin.

6) E o panteão romano, não é o mesmo, tipo sermos greco-romanos?
O reconstrucionismo romano é algo separado, com seus próprios deuses e espíritos e formas de culto. Não só a abordagem é diferente, como também há diferenças entre os deuses, algumas mais significativas e outras mais sutis. O Ares grego, por exemplo, é uma deidade guerreira, enquanto o Marte romano abrange características de fertilidade agrícola. Já outros, como Apolo, foram "importados" diretamente dos gregos para Roma, mas ainda assim têm algo distinto na hora de em quais aspectos da deidade os gregos e romanos irão focar ao cultuá-los.

7) Como que eu faço um ritual?
Antes de desenvolver peculiaridades suas, você deve tomar como base:
- Montar um altar em casa, tipo com uma vela, uma tigela para verter ofertas líquidas, um lugar para queimar incenso ou essências, uma imagem legal da deidade (pode ser uma figura impressa se não tiver estátua).
- Lavar-se antes do ritual. De preferência banho e roupas limpas, se não pelo menos lave as mãos.
- Entrar em sintonia com a deidade e com o que você está fazendo ao se aproximar do altar.
- Acender a vela, consagrar a chama para Héstia lendo um hino homérico a ela.
- Ler hinos para a deidade do rito, pedir bençãos e outras coisas, vendo a especifidade e o domínio de cada uma (por exemplo, se você for pedir por cura física, deve se dirgir a deidades como Apolo, Asclépio, Higéia...).
- Dizer o que você vai oferecer a eles em troca, pode ser algo geral ou bem específico.
- Verter libações (ofertas líquidas) e/ou acender incenso ou vela perfumada.
- Agradecer pela atenção, apagar a vela sem soprar. 
[Para mais informações, veja nossa página sobre Ortopraxia no site.]

8) Que mais preciso saber para começar?
O mais importante é seguir seu coração E sua mente. Use o coração para descobrir seus interesses e perceber os sinais dos deuses. Use sua mente para aprender tudo o que puder sobre a religião e a cultura helênica. Quando você juntar as duas coisas, não vai ter muito erro.
Lembre-se sempre de não ir com muita sede ao pote. Não queira fazer tudo de uma vez. Duas máximas da cultura grega são "Nada em excesso" e "Conhece-te a ti mesmo". Conheça tanto suas forças quanto suas limitações como humano. O helenismo requer tempo, paciência e trabalho, mas o investimento compensa quando você começar a se ver imerso nas belezas da cultura clássica e nas deidades que a presidem!

(Inspirado, adaptado e modificado de "A Neophyte’s Crash Course in Hellenic Polytheism", do Sannion - tradução da Alexandra.) 

Comments