Home‎ > ‎Hinário‎ > ‎

Musas

Hino Homérico XXV: Às Musas e Apolo
Que pelas Musas eu comece e por Apolo e Zeus.
Pelas Musas e pelo flechicerteiro Apolo
homens aedos sobre a terra há e citaredos
e por Zeus reis. Feliz quem as Musas
amam: doce lhes flui da boca a voz.
Salve, filhas de Zeus, e honrai minha canção
Depois eu vos lembrarei também em outra canção.
(tradução de Rafael Brunhara)

Hino Órfico 76 - às Musas (fumigação de olíbano)

Filhas de Memória e Zeus altissonante,
Musas Piérides, magno nome, esplêndida fama:
multiformes, as mais desejadas aos mortais, a quem vos mostrais,
engendrando a virtude impecável de toda a cultura,
nutrindo almas e ordenando pensamentos;  (5)
preceptoras soberanas da bem poderosa mente.
Aos mortais indicastes os ritos e a celebração dos mistérios,
Glória [1], Alegria [2], Festa [3], Dançarina [4],
Alegra-coro [5], Amorosa [6], Hinária [7], Celeste [8],  (10),
Belavoz[9] * e  Pura [Agne] divina mãe bem poderosa.
Peço Deusas,  vinde aos iniciados, multivariadas e puras,
trazendo a gloriosa emulação, amável e multi-hineada.
(Tradução: Rafael Brunhara)


Hino às Musas, de Proclus
Cantemos a luz que leva pelo caminho do retorno dos homens;  
Glorifiquemos as nove filhas do grande Zeus,  
De luminosas vozes;  
Cantemos á estas virgens que,  
Pela virtude das puras iniciações que   
Provém dos livros, despertadores de inteligência,  
Arrancam dos dolorosos sofrimentos da terra,  
As almas que erram no fundo dos poços da vida,   
Ensinando-as a ocupar-se com zelo  
De buscar e seguir um caminho sobre as correntes  
E profundas ondas do esquecimento,  
E de retornar, puras, ao astro paterno,  
Para  este astro do qual um dia elas se separaram  
Quando, enlouquecidas pelo desejo, dos grosseiros  
Bens da matéria, caíram no áspero mundo das gerações.  
E quanto a vós, oh Deusas,  
Apaziguais o impetuoso impulso que me leva ao delírio,  
E fazeis que as inteligentes palavras que transportem a um santo êxtases!  
Que a raça dos homens que somente sentem medo dos Deuses  
Não me aparte dos caminhos divinos,  
Deslumbrantes e plenos de luminosos frutos!  
Do profundo do caos,  
Perdido pelo suceder em mil caminhos errados,  
Atrai a minha alma que busca sem cessar a pura luz;  
E, completando-a de vossa graça,  
Que possui o poder de aumentar a inteligência,  
Dá-lhe a graça de possuir sempre o glorioso privilégio  
De pronunciar com facilidade as eloquentes palavras  
Que seduzem os corações! 
(Tradução de Andre Nogueira)

Comments