Home‎ > ‎Hinário‎ > ‎

Héstia

Hino Homérico XXIV - A Héstia
Héstia, tu que cuidas da sagrada casa do senhor Apolo, o que atira longe a divina Pytho, com suave óleo escorrendo sempre de suas madeixas, venha agora a esta casa, venha, tendo uma só mente com Zeus o todo-sábio -- venha para perto, e conceda suas graças sobre a minha canção.
(tradução da Alexandra)

Hino Homérico XXIV: A Héstia
Héstia, que de soberano Apolo longiflecheiro
um sagrado lar na divina Pito assistes,
sempre de tuas madeixas escorre fluido óleo de oliveiras.
chega nesta casa, achega-te, de coração,
com Zeus próvido: e ao mesmo tempo infunde graça no canto.
(tradução de Rafael Brunhara)

Hino Homérico XXIX - A Héstia
Héstia, nas altas moradas de tudo,
tanto dos deuses imortais quanto dos homens
que caminham na terra, recebeste uma estada
permanente e a mais alta honra: gloriosa é
sua porção e seu direito. Pois sem você os
mortais não fazem banquetes, onde a gente
não devidamente verter em oferta a Héstia
tanto o primeiro quanto o último. (...)
~ tradução da Alexandra ~

Hino Homérico XXIV - A Héstia
Héstia, quem, das altas moradas de tudo recebeu,
dos deuses imortais e dos homens que vão pela terra,
um lugar eterno de alta honra e nobre direito,
e digna porção, pois sem ti não há banquetes
entre os mortais, sem ofertar o primeiro e o último 
a Héstia, vertendo o vinho tão doce como o mel.
   E tu, assassino do Argo, filho de Zeus e Maia,
   mensageiro dos deuses, com o bastão dourado,
   doador de boas coisas, sê a nós favorável,
   vem em nossa ajuda, com a amada Héstia e juntos
   habitem esta boa casa em amizade; 
   pois sabeis as nobres ações dos homens, 
   ajuda em seus pensamentos [e forças].
Saúdo a filha de Cronos, 
e a Hermes do bastão dourado.
(tradução da Alexandra)

Clique aqui para ver o vídeo do hino em grego, cantado pela Álex, com melodia de Melissa G.
Clique aqui para a mp3 do hino em grego e clique aqui para a mp3 do hino em português.


Hino a Héstia de Arístono de Corinto (Século IV a.e.c)

Sagrada rainha das coisas sagradas, nós te cantamos em hino, Héstia, tu que habitas o Olimpo e o umbigo sagrado da terra e o loureiro pítico e danças em torno do templo de Apolo com as suas torres eminentes, deleitando-te com as palavras mânticas do tripé e quando Apolo tange as sete cordas da sua lira dourada e contigo enaltece em canções os deuses que festejam. Salve, filha de Cronos e Rea que sozinha faz arder o fogo nos sagrados altares dos imortais! Héstia: recompensa a nossa prece, confere riqueza obtida com honestidade, para que nós dancemos sempre ao redor do teu altar-trono cintilante.
(tradução de José M. M. Macedo, enviada por Antonio)

Hino Órfico 84 a Héstia, com fumigação de aromáticos:
Filha de Cronos, venerável dama, que habita entre a chama eterna do grande fogo; em ritos sagrados estes ministros são teus, místicos muito abençoados, sagrados e divinos. Em ti os Deuses fixaram sua morada, a base forte e estável da raça dos mortais. Eterna, bem formada, sempre florida rainha, risonha e abençoada, e de amável conduta; aceite estes ritos, conceda cada desejo justo, e inspire uma saúde branda e um bem necessário.
(traduzido pela Alexandra da versão inglesa de Taylor)

Comments