Home‎ > ‎Hinário‎ > ‎

Cronos

Hino Órfico a Cronos - fumegar estoraque [benjoim]

Altíssimo Pai, Titã poderoso, ouve, ó grande fogo dos Deuses e dos homens, reverenciado por todos:
Em ti há conselhos inúmeros, puros e resistentes, em ti a quem a perfeição e o declínio pertencem.
Por ti se extinguem todas as formas que fenecem de hora em hora. Por ti restauradas, retornam ao lugar que as forja.
O mundo imenso, em prisões sempiternas ––– firme e indizível teu poder encerra.
Ó poderoso Saturno [Cronos], pai da eternidade vasta, sei, ó sublime, que são muitas as tuas falas:
O florir da terra e de estrelados céus, o marido de Réia e a esposa de Prometeu.
Artífice natural dos partos, venerável tronco, de onde as incontáveis formas lançam brotos;
Nenhuma parte em especial pode conter sua força, todas se esgalham de ti, de onde o mundo vem à tona.
Ó, melhor dos seres, dono de sutil inteligência, inclinado a ouvir divinas preces com real benevolência.
Com a mesma bondade, atende ao rito sacro, e concede uma vida bendita e um fim abençoado.

(Tradução: Yuzuru Izawa)

Hino Órfico a Cronos, com incenso de estoraque

Viçoso sempre, pai dos venturosos deuses e dos homens,
astuciador límpido de magna força, bravo Titã,
tu mesmo, que a tudo consomes e novamente fazes crescer,
inquebráveis os grilhões que deténs no cosmo sem fim,
eterno Cronos pai de todos, Cronos de variado falar, (5)
rebento da Terra [Gaia] e do Céu[Urano]constelado,
és a geração, o crescimento e o fim, marido de Reia, insigne Prometeu,
que habitas em todas as partes do cosmo, rei ancestral,
de curvo pensar, o melhor! Atendendo a minha súplice voz,
envias um fim de vida bem afortunado, para sempre impecável. (10)

(Tradução: Rafael Brunhara)
Comments