Home‎ > ‎Hinário‎ > ‎

Ares

Hino Órfico a Ares, com fumigação de olíbano:
Magnânimo, despreocupado, tempestuoso Ares,
Que se rejubila em afiadas flechas e guerras sangrentas,
Feroz e indomável, cujo poder vigoroso pode estremecer os mais fortes muros e suas fundações.
Rei que destrói mortais com sangue e espadas e lanças e os terríveis gritos de batalha,
És o pavoroso aniquilamento da luta selvagem.
Retenha tuas furiosas disputas e vingativas contendas,
Que fazem a vida humana ser amarga e preenchida de tristeza.
Grite agora para a Linda Afrodite e para Dionísio,
Dê à Deméter as armas do campo de batalha.
Encoraje a paz e os trabalhos gentis, e conceda-nos auxílio e abundância.

Hino Homérico VIII - A Ares

Ares, de força extraordinária, condutor da biga, de elmo dourado, valente de coração, portador do escudo, salvador das cidades, de brônzea armadura, braço forte infatigável, poderoso com a lança. Ó defensor do Olimpo, pai da Vitória bélica, aliado de Têmis, severo governante dos rebeldes, líder dos homens justos, Rei com o cetro da virilidade, que gira sua feroz esfera entre os planetas em seus sétuplos cursos através do éter, no qual seu corcel flamejante sempre te leva acima do firmamento do céu; ouça-me, auxiliar dos homens, doador da destemida juventude! Verta um gentil raio de cima sobre a minha vida, e a força de guerra, que eu possa ser capaz de afugentar a amarga covardia de minha cabeça e de esmagar o doloso engano em minha alma. Retenha também a afiada fúria de meu coração, a qual me provoca a trilhar os caminhos da disputa de pavoroso sangue. Antes, ó abençoado, dê-me coragem para perseverar dentro das inofensivas leis da paz, evitando a contenda e o ódio e o violento espírito maligno da morte.

(traduções 
da Alexandra)

Hino Órfico a Ares

Fumegar Olíbano

Magnânimo, invencível, impetuoso Marte, em mordaz regozijo, e em guerras sangrentas,
Indomável e feroz, cujo vigosoro poder pode fazer tremer as mais fortes paredes de suas fundações:
Mortal rei destruidor, maculado de sangue, deleitado com terrível guerra e estrondosos rugidos:
A ti, sangue humano, e espadas, lançam prazer, e a lúgubre ruína de insensata luta selvagem.
Permanece, furiosas contendas, e vingativas disputas, cujas obras de aflições, amargam a vida humana;
Rende-te a encantadora Venus [Kypris], e a Baco [Lyaios] para Ceres [Deo] dar as armas do campo;
Incentive a paz, para gentis obras, e dê abundância, com bondosa disposição.

(Tradução Yuzuru Izawa)
Comments