Home‎ > ‎Festivais‎ > ‎

Heliogenna

"Solstício" é uma palavra do latim, "sol-sistere" (sol parado), que é quando a elevação do sol não parece mudar. Para nós, é o tempo da "Heliogenna" (nascimento de Hélio).

A Heliogenna em si é um festival moderno criado originalmente com 9 dias (18 a 26 de dezembro), proposto por Hector Lugo, em honra ao deus sol Hélio no solstício. Os 3 primeiros dias eram o pôr-do-sol, os 3 seguintes a noite e os 3 últimos o nascer-do-sol. Acenderia-se 8 velas, uma a cada pôr-do-sol, o segundo dia da segunda tríade cairia no solstício de inverno no hemisfério norte e por isso não se acenderia uma nova vela. As velas deveriam queimar até se extinguirem. De preferência em aparadores de vela com desenhos solares.

O pôr-do-sol (primeiros 3 dias) era celebrado com relatos de Faetonte e sua morte. Queimariam-se velas amarelas e/ou laranjas nesses dias. A noite (3 dias seguintes) seria para honrar os mortos, e também Hades e Perséfone.  Helios estaria chorando pelo seu filho, então não se mencionaria ele nesse momento. Queimariam-se velas negras no primeiro e no último dia dessa tríade. O nascer do sol (últimos 3 dias) seria o retorno de Hélio das profundezas do Hades e um tempo de júbilo, quando se saudaria ele a cada romper do dia e se fariam preces e cantos a ele, acendendo velas amarelas e/ou laranjas.

De qualquer forma, é um festival a ser realizado no solstício de dezembro, ou em data próxima. Pode ser feito em 9, 3, 2 dias ou vigília de 1 dia. Abaixo estão sugestões de celebração com algumas opções. Se você for fazer em 3 dias, é só fazer os grupos de 3 dias da de 9 dias em 1 dia só cada um.

DE NOVE DIAS (adaptado do Hector Lugo, traduzido por Alexandra):

Pôr do sol
- Aqui honramos Hélio e seu filho mortal Faetonte. As velas destes dias são amarelas, aromáticas ou não. No primeiro dia, acende-se a primeira vela. Dá-se bençãos dos deuses a todos e cultua-se o deus solar como aquele que vê todas as coisas. Ele nos observa. Preces e ofertas ao onisciente Hélio são feitas para lembrarmos da sua glória. Lembranças das novidades que aconteceram no ano que passou são escritas em um papel que é queimado ou enterrado em oferta ao deus sol.
No segundo dia, a segunda vela é acesa, o deus deve ser venerado como aquele que brilha no horizonte. Deve-se lembrar os contos sobre Faetonte, filho do sol, e Zeus deve ser lembrado como aquele que salvou o homem dos disparates do filho do sol. Preces são feitas em direção a oeste (onde o sol se põe) e, se possível, prepara-se uma fogueira/lareira, ainda sem acendê-la, para tornar o lugar sagrado.
No terceiro dia, acende-se a terceira vela e o deus solar é lembrado como tendo fechado as portas de seu palácio dourado para viajar pelo submundo em direção a leste. No final do dia, acende-se a fogueira/lareira, se houver uma, e diante dela são feitas ofertas ctônicas. Hélio deve ser lembrado como aquele que viu a abençoada Kore ser levada.

Noite
- Aqui não cabem preces ou sacrifícios a Hélio, mas sim a Eos (a aurora) e Selene (a lua), a outros deuses e aos heróis. As duas velas do primeiro e do terceiro dias são ou pretas ou de outra cor escura, aromáticas ou não.
No primeiro dia da Noite, a deusa Selene é honrada. Seus mitos e histórias são contadas, hinos a ela são lidos, preces, ofertas e sacrifícios são feitos a ela como irmã do sol. A primeira vela é acesa.
No segundo dia nenhuma vela é acesa, e os deuses ctônicos são honrados, principalmente Hades, Perséfone e Hécate.
No terceiro dia, a segunda vela escura é acesa. A deusa Éos é honrada e, quando o novo dia começa, ela conduzirá o caminho como a aurora que traz o sol.
Note que em nenhum momento destes três dias se menciona o nome de Hélio, nem nos ritos, nem nas preces e nem nos sacrifícios. Substitua-o por fórmulas como "Seu Divino Irmão" ou "O Brilhante" ou algo assim quando recitar mitos onde ele aparece relacionado aos deuses que estão sendo honrados.

Nascer do sol
- O nascer do sol é celebrado com alegria e felicidade. O sol triunfante se ergue dos portões do submundo, as portas são abertas por Éos, a aurora. O tom destes três dias são de celebração em todos os sentidos. As velas são amarelas. Estas sim devem ter aroma de flores ou talvez de essências temperadas, como promessa de um sol recém-nascido.
No primeiro dia a quarta vela amarela (aromática) é acesa. Preces e esperanças para o próximo ano são escritas no papel, queimadas ou enterradas, e ofertadas ao deus sol. Neste dia todas as preces e sacrifícios são apenas para o deus solar.
No segundo dia, a quinta vela amarela (aromática) é acesa, e preces e esperanças para nossos familiares e amigos são ofertadas ao deus sol também em papéis, e tb queimadas ou enterradas. Ofertas aos grandes Deuses Olimpianos são feitas junto àquelas ao deus solar.
No terceiro dia, a sexta vela amarela (aromática) é acesa. É o dia de trocar presentes: de honrar as crianças pela sua alegria dando-lhe presentes para encorajá-las a serem felizes e contentes; de dar presentes á família e aos amigos; e de oferecer comidas aromáticas aos deuses como presentes a eles. Um banquete de agradecimento é ofertado, e a doação de comida aos pobres também é encorajada.

-~x~-

DE DOIS DIAS (Sugerido por Cara Schulz, traduzido por Alexandra):

DIA 1, Dia antes do Solstício
Pôr-do-sol

Dia de gratidão
Deuses honrados: Hélio, Selene, Eos
Celebrado de manhã até que o sol comece a se pôr

Um tempo para Honrar os Deuses Celestiais, examinar o ano prévio que passou e expressar gratidão pelas bênçãos dadas.

Eu encho uma pequena urna com areia de praia e a coloco em meu altar para Hélios. Pela tarde, acendo as velas, queimo um incenso de oferta, digo uma prece ou duas e faço outros oferecimentos ou verto uma libação em honra de Hélio, Selene, Eos. Agradeço os Deuses pela ajuda deles/delas e pelas suas bênçãos.
Então tenho um almoço agradável com minha família ou amigos, colocando de lado alguma da comida para queimar em oferta. Depois disso você poderia fazer as decorações para vestir uma árvore (se você é de montar árvore). Fatias secas de laranja dão grandes decorações solares. Espere decorar e iluminar a árvore na manhã seguinte, que é manhã de Solstício.

Ofertas e libações:

*Libação para Héstia*

Senhora do Fogareiro,
Guardiã das chamas sagradas do Olimpo
Entre nesta casa e seja bem-vinda

Crianças abençoadas de luz
Nós lhes damos boas-vindas neste dia.
Luminoso Hélio que belo viaja
A graciosa Selene já se move atrás de ti
Com Eos abrindo os portões, anunciando sua chegada.

*Libações para Hélio, Selene e Eos*

Hélio – agradeço por seu poder de dar a vida este ano. Obrigado/a por sua vigilância e sua luz.
Selene - você é a luz na escuridão e a lembrança de que a noite é tão cheia de possibilidades como o dia, se olhamos para ela mais de perto.
Eos - você é a Beleza que está na novidade de todas as coisas.

*Libação para Héstia*

Senhora do Fogareiro,
Guardiã da chama sagrada do Olimpo
Conceda suas bênçãos a tudo que se reúne ao redor deste fogo.

*prece de ofertas*

Hélio, por favor, aceite minhas ofertas de...

Grata/o por suas bênçãos de... este ano.

DEPOIS DO PÔR-DO-SOL, Noite antes do Solstício
A noite

Noite de Recordação, conclusões e transição
Deuses honrados: Hélio, Hécate, Hades, Perséfone, Hermes
Celebre do pôr-do-sol até o amanhecer

Hélio desce para a Casa de Perséfone para ser renascido. O tom é sombrio. Enquanto assiste o sol se pôr, verta libações para Perséfone, Hades, Hermes e Hécate. Queime ofertas de incenso no altar e queime tudo das decorações da Heliogenna do último ano no fogo: todos os ornamentos de árvore de fatias secas de laranja, as bolas laranja de cravo-da-índia, a ponteira da árvore. Depois de eles estarem queimados, pode-se apagar o fogo.

Oferecimentos e libações:
Perséfone: Rainha dos Mortos, fruto da terra e do céu
Noiva do Poderoso Hades, morando nas terras do submundo.
Guardiã de segredos, sábia e compassiva, doadora de esperança na desesperança.

Hades: Rei dos mortos, filho de Kronos o derrotado,
Marido de Perséfone, morando no palácio subterrâneo.
Guardião de segredos, escuro e não-visto, doador de riquezas do submundo.

Hermes e Hécate: Vocês que iluminam meu caminnho
e guiam meus passos a cada encruzilhada.
Vocês que me conduzirão
quando eu fizer a jornada final

Prece de oferta:
Deus de Muitos Nomes e sua Rainha Terrível, por favor aceite esta oferta de...
Receba Hélio com carinho e o mande de volta como o Deus Jovem junto ao ano renascido.

Os restos do fogo são varridos. As velas são apagadas e os tocos são jogados fora. A noite é silenciosa depois das preces. Mais nenhuma comida é consumida.

DIA 2, manhã de solstício
Nascer do sol

Manhã de vitória e Esperança - Renovação - Potencial
Deuses honrados: Hélio e os Protogonoi
Celebre começando de madrugada

Acorde cedo e assista a elevação do Sol. Enquanto ele sobe, segure velas claras e cante hinos de alegria, modernos ou antigos, para Hélio. Verta libações. Toque sinos. Esta é uma ocasião verdadeiramente feliz, jovial!

Se você desejar, decore sua árvore com novas fatias de laranja secas, coloque uma ponteira de árvore com um sol glorioso e acenda as luzes. Acenda um fogo quentinho e crepitante. Deseje o bem aos outros enquanto faz torradas e verta libações sobre o fogo. Faça um festivo e enorme café-da-manhã, pondo de lado uma porção de ofertas para queimar aquela manhã. Abra os presentes para celebrar o novo ano solar. Pela tarde, espalhe bolas laranja de cravo-da-índia e as pendure durante o ano, pedindo a bênção de Hélio para que você e sua família possam florescer no ano que chega.

-~x~-

VIGÍLIA (adaptação de Alexandra Nikaios às sugestões anteriores):

PÔR-DO-SOL:
Honramos Hélio e seu filho mortal Faetonte.
Acenda uma vela amarela comum e faça preces a Hélio. Escreva uma lista das coisas que aconteceram no ano que passou e queime o papel na vela em oferta ao deus sol.
Relembre os contos de Faetonte, filho do sol.
As preces devem ser feitas em direção a oeste (onde o sol se põe).
Lembre do deus solar como tendo fechado as portas de seu palácio dourado para viajar em direção a leste.
Ao final, Hélio deve ser lembrado como aquele que viu a abençoada Kore ser levada para o submundo.

NOITE:
Aqui não cabem preces ou sacrifícios a Hélio, mas sim a Eos (a aurora) e Selene (a lua), Hades, Perséfone e Hécate.
Acenda uma vela preta ou de outra cor escura, comum ou aromática.
Leia os mitos de Selene, faça preces e ofertas a ela como a irmã do sol.
Depois, honre os deuses ctônicos, principalmente Hades, Perséfone e Hécate.
Ao fim da noite, honre a deusa Éos, a que conduz o caminho como a aurora que traz o sol.
Nota: Em nenhum momento da noite mencione o nome de Hélio, nem nos ritos, nem nas preces e nem nos sacrifícios. Substitua-o por fórmulas como "Seu Divino Irmão" ou "O Brilhante" ou algo assim quando recitar mitos onde ele aparece relacionado aos deuses que estão sendo honrados.

MANHÃ:
O nascer do sol é celebrado com alegria e felicidade. O sol triunfante se ergue dos portões do submundo, e as portas são abertas por Éos, a aurora.
A vela é amarela, mas agora deve ter aroma de flores ou de essências temperadas, como promessa de um sol recém-nascido.
Preces e esperanças p/o próximo ano são escritas no papel e queimadas na vela, em oferta ao deus sol. Primeiro as escritas p/vc, depois as para os familiares e amigos.
Ao final, trocam-se presentes, encorajando-se as crianças a serem felizes e contentes; honrando família e amigos; e oferecendo-se comidas aromáticas aos deuses olimpianos (e aos seus deuses patronos) como presentes a eles. Um banquete de agradecimento é ofertado, e a doação de comida aos pobres também é encorajada.

-~x~-

A Heliogenna se assemelha à Herakleia. Vide fotos na página do festival correspondente.

Para ler sobre os mitos relacionados ao festival da Heliogenna, vá ao Sofá da Álex, clicando AQUI.

Comments