Home‎ > ‎Festivais‎ > ‎

Deipnon de Hécate

O Deipnon de Hécate acontece na noite mais escura, honrando a "Portadora da Luz" com uma doação de comida nas encruzilhadas. É um tempo de purificação de si e do lar.

As ofertas mais comuns neste dia são pão, queijo, figos, azeitonas, carne, ovos, alho, alho-poró. Você também pode varrer sua casa, ofertar as coisas que não quer que continuem no mês que vai entrar, limpar o refrigerador, arrumar a despensa, pagar as dívidas, se entender com quem você está brigado, e tudo o mais que sirva para "virar a página" antes do próximo mês helênico.

Se você tiver um Kathiskos em honra a Zeus Ktesios, essa é a hora de desfazer-se do conteúdo para (re)preenchê-lo com um novo.

Sugestões de como fazer um Kathiskos você irá encontrar na página do dia do Agathos Daimon.

(Alexandra)

Sugestão de Rito:

Limpe o altar. Isso pode ser feito mais cedo no mesmo dia ou imediatamente antes do ritual. Se quiser, junte as sobras de libações anteriores, restos de vela, e até poeira, para jogar no fogo - simbolizando o mês que terminou. Por exemplo: se você libou vinho e sobrou um pouco daquela garrafa, ou se ofertou cevada e sobrou uma porção no pote, essas coisas podem ser oferecidas a Hécate para limpar o mês inteiramente, seja queimando-as ou servindo-as no deipnon/jantar.

Você vai precisar de um prato de ofertas, uma taça de libação, um queimador de incenso, incenso, vela, líquido para libar (de preferência vinho ou mel), uma imagem de Hécate (se não tiver estátua, pode ser uma figura impressa), e - claro - a ceia de Hécate. A ceia tradicionalmente consistia de um pão doce ou bolo, peixe, alho, ovos e queijo; mas, se você não tiver tudo isso, pode oferecer algumas dessas coisas ou mesmo outras que sentir apropriadas. Azeitonas pretas costumam ser percebidas como uma boa oferta nos dias de hoje. Separe tudo antes do rito. 

Comece no mínimo lavando as mãos - o ideal é tomar banho e usar roupas limpas. Se tiver khernips (água lustral), purifique as mãos nela. Aproxime-se do altar, acenda a vela e consagre-a a Héstia. Faça um momento de silêncio, depois leia o Hino Órfico a Hécate e/ou a passagem da Teogonia de Hesíodo que fala dela. Há também um hino nos Papiros Mágicos Gregos (IV 2520-2569)* que podemos adaptar para este ritual. Se tiver algo para queimar, coloque no carvão ou no fogo primeiro. Depois coloque ou acenda o incenso. Verta a libação na taça. E apresente a ceia. Você pode dizer algo tipo: "Hécate, eu te ofereço este incenso, este vinho/mel, este (cite os itens da ceia)... Olhe com gentileza para estas ofertas e aceite-as com o coração alegre". Se estiver fazendo só o deipnon, o rito pode terminar aqui. 

Se já quiser começar a purificação para a Noumenia, faça uma prece como esta: "Hécate, seja favorável a seu/sua suplicante que lhe traz ofertas este dia assim como em outros dias no passado. Poderosa Hécate, por favor, leve embora a sujeira e as faltas deste lugar. Limpe-o de toda a negatividade e de coisas prejudiciais". Faça então uma fumigação do seu lar com o incenso, carregando o incensário pela casa (mas com cuidado, pois ele pode estar quente e você precisa proteger suas mãos!). Faça um circuito que te leve de volta ao altar. Lá, faça uma prece para a proteção de Hécate durante o novo mês, como esta: "Hekate Propylaia, por favor conceda-nos sua proteção e evite que qualquer coisa prejudicial entre em nosso lar. Fazendo isso, lhe seremos sempre gratos".

Aqui você pode aproveitar para consultar um oráculo, se precisar de orientação de Hécate em algo.

Ao terminar o rito, ou no máximo no dia seguinte, junte as ofertas da ceia e se desfaça delas, seja deixando em uma encruzilhada ou no jardim ou - se for jogar no lixo - coloque já o saco para fora na mesma hora. Se onde você mora há horário para coleta de lixo, considere isso antes de retirar as ofertas do altar. 

(por Alexandra, adaptado e traduzido de Hekatatia)

*PGM IV 2520-2569 (do século II AEC ao 5 EC):

Venha a mim, ó amada senhora, Hécate de três faces,
Gentilmente ouça meus cantos sagrados.
Tu armas tuas mãos com terríveis e sombrias tochas,
Tu sacodes teus cachos de temíveis serpentes em tua testa,
Tu soas como o bramido de touros saindo de tua boca.
Ferozes cães são queridos a ti, onde quer que te chamem
Hécate, de muitos nomes, Mene (Lua) que fende o ar como
Ártemis que atira dardos, Perséfone,
Atiradora de cervo, noite, brilhante, trissonante,
Selene, de três cabeças, de três vozes,
De três pontas, de três faces, de três pescoços,
E deusa dos triplos caminhos, que segura
A incansável chama em cestos triplos,
E tu que constantemente frequenta o triplo caminho
E rege as triplas décadas,
A mim que te chamo
Seja graciosa e com gentileza dê atenção;
Tu que proteges o espaçoso mundo à noite,
Diante de quem os daimones (espíritos) tremem de medo
E os Deuses imortais estremecem; Deusa que
Exalta os homens, tu de muitos nomes, mãe dos Deuses
E dos homens e da Natureza, Mãe de todas as coisas,
Pois tu frequentas o Olimpo, e o largo caos sem fronteiras
Tu atravessas. No começo e no fim tu estás,
E somente tu reges tudo.
Pois todas as coisas vêm de ti, e em ti
Todas as coisas, Eterna, chegam a seu final.
Saúdo-te, Deusa, e, observando teus epítetos,
Queimo para ti este incenso.

(Tradução de Alexandra)
Comments