Home‎ > ‎Calendário‎ > ‎

Explicação do Calendário


1. INTRODUÇÃO
(traduzida do calendário oficial)

Nosso calendário normalmente segue o do grupo Hellenion, que é baseado nas observações mensais e anuais e nos festivais dos antigos helênicos de cerca de 800 AEC a 323 AEC. A versão deles foi criada usando informações do site HMEPA e das Fases da Lua, assim como do livro Greek Religion de Walter Burkert (Harvard University Press, 1977, English translation: Basil Blackwell Publisher and Harvard University Press, 1985), Old Stones, New Temples: ancient Greek paganism reborn de Drew Campbell (Xlibris Corporation, 2000) e Festivals of the Athenians, de H. W. Parke (London, Thames and Hudson, 1977).

O calendário delineia antigas práticas mensais, tais como o Deipnon de Hécate (na noite mais escura, honrando Hécate, a "Portadora da Luz", por uma doação de comida em uma encruzilhada ou para a caridade), a Noumenia (lua nova, começo do mês ateniense), e o dia do Agathos Daimon (honrando o espírito pessoal de alguém, um destino, característica, bênção, que não é inerentemente bom nem mau). Ele também lista antigos festivais atenienses, nas datas exatas onde eles são conhecidos. Onde a data exata não for revelada por pesquisa, um ponto de interrogação segue o nome do festival. Informações sobre cerimônias específicas podem ser encontradas nas referências mencionadas acima. Notem que a data da lua nova é determinada por quando o crescente é visível em Atenas; deve-se verificar fontes locais para o tempo e dia exatos na localidade do praticante caso este deseje ser mais preciso.

Em acréscimo aos festivais e práticas antigas, certas ocasiões modernas são listadas também. Isso inclui a libação mensal da Hellenion (garantindo que ao menos um dia por mês seja compartilhado por uma comunidade ao mesmo tempo, ainda que estejamos espalhados, e também garantindo que cada um dos doze olimpianos seja honrado ao menos uma vez por ano). Notem que esta libação não é uma prática oficial da Hellenion, mas uma atividade voluntária endossada (defendida, apoiada) por muitos membros da Hellenion.

Alguns festivais modernos também estão listados, como a Heliogenna, feita por vários dias durante os dias mais curtos de dezembro, e a Prometheia, feita na Grécia, no solstício de verão, perto do Monte Olimpo.

Lembrem-se de que, entre os antigos gregos, o dia começa ao pôr-do-sol do dia anterior. Dias em cinza indicam dias observados por membros da Hellenion, incluindo a lua nova que é o começo do mês grego e as libações mensais da Hellenion.

OBSERVAÇÃO: Já há alguns anos que temos feito o calendário do RHB antes de o calendário da Hellenion ter saído. Portanto, provavelmente existirão algumas diferenças, como o acréscimo de festivais.


~-x-~


2. COMO FUNCIONA:
(por Alexandra Nikaios)

Muita gente costuma perguntar se devemos inverter o calendário por vivermos no hemisfério sul (estações opostas). O conselho é que mantenham o calendário do norte, que é baseado nas "pólis" (cidades) e não na agricultura. Alguns festivais realmente vão se relatar à agricultura, mas não todos (como acontece com o calendário celta, por exemplo). O helênico não se refere a solstícios (exceto o de verão) nem equinócios, então não é preciso ter que ficar invertendo.

O ano helênico pode ter 354 dias, 355 dias (anos de 12 meses), 383 dias ou 384 dias (anos de 13 meses). O ano que começou no final de junho de 2014 é um ano de 13 meses, com 383 dias. No meio de julho de 2015, começou um ano de 12 meses e 355 dias. Em julho de 2016 começou um ano de 12 meses e 354 dias. Em meados de 2017, começa um ano de 13 meses e 384 dias. Os meses se alternam entre meses de 30 e de 29 dias, isso porque a lua tem uma periodicidade de 29½ dias. Começamos nosso site original (de Reconstrucionismo Helênico no Brasil) no mês de Elaphebolion de 2003, que começou em 02 de março e foi até 1º de abril da Era Comum. Sendo o sétimo mês na Lacônia/Esparta, e o décimo mês em Atenas, Elaphebolion tem sempre 30 dias. Os outros meses mudam (às vezes têm 29 dias e outras vezes 30), principalmente o último mês do ano em vigor, ou seja, no ano de 12 meses laconiano seria o mês de Metageitnion e, no ano de 13 meses laconiano, o de Poseideon II.

Em alguns lugares, você pode encontrar uma referência ao calendário helênico que fale em "HMERA". HMEPA quer dizer "Hellenic Month Established Per Athens" (Mês Helênico Estabelecido por Atenas), mas também é um trocadilho com "hemera", que significa "dia", em grego (kali mera = bom dia), o que em fonte grega para editor de texto seria escrito 'HMEPA.

O 1º dia de cada mês é celebrado como o Noumenia, a festa da Lua Nova Visível. Por vezes também é chamado de Enikainea (Hene kai nea), "o Velho e o Novo". O dia 15 do mês é celebrado como o Dikhomenia (do ancestral da palavra moderna dikhiazo, ou seja, "Eu divido em duas partes"), o que ocorre na ou muito perto da lua cheia. Este dia é consagrado a Selene, a deusa da lua cheia. Alguns outros dias são considerados consagrados a certos deuses e deusas em particular. Esses dias são quase inteiramente situados nos primeiros dez dias do mês, com a lua crescendo. O dia 2 é consagrado ao Agathos Daimon, o "Bom Espírito", o dia 3 a Atena, o dia 4 a Afrodite e a Hermes (e às vezes também a Héracles), o dia 6 a Ártemis, o 7 a Apolo, o 8 a Poseidon e às vezes também a Teseu, particularmente em Atenas. O último dia do mês, seja ele 29 ou 30, é consagrado a Hécate.

Os nomes dos meses que virão entre parêntesis são nomes alternativos, a sua maioria em Macedônico. Algumas pessoas usam o calendário das olimpíadas, aqui há um bom site com ele: A 698ª Olimpíada, segundo o site estamos no 4º ano da 698ª Olimpíada e, no meio de 2017, iremos para o 1º ano da 699ª Olimpíada.

Para acompanhar o ano helênico, preferi colocá-lo mês a mês, assim pode-se seguir tanto por Atenas (em que Boedromion é o terceiro mês) quanto pela Lacônia (em que ele é o primeiro). 

Há também um calendário da Beócia em pdf, elaborado pelo Ruadhan, em inglês, para vender neste site: Boeotian religion.

Seguir o calendário do HMERA  ("Meses Helênicos Estabelecidos por Atenas") é uma questão simbólica. Se você preferir um calendário mais alinhado com a natureza e os eventos mundiais, pode adaptar o seu, fazendo os festivais agrários coincidirem com as estações da sua região e a Anthesteria coincidir com o carnaval, por exemplo. As diferenças nos calendários de cada pólis na antiguidade eram comuns, então a falta de sincronia não deve ser motivo de preocupação. Na Hélade, se acrescentavam e retiravam dias de acordo também com a situação política e, como hoje não temos um arconte que diga "eliminem esse mês", cabe a cada um decidir pela observância do calendário que lhe for mais conveniente. 

PS: Para se referir ao calendário atualmente adotado, usaremos o sistema AEC (Antes da Era Comum) e EC (Era Comum), em vez de AC/DC, porque tal notação cristã é certamente inadequada para o nosso caso.

Nossas Referências Online:

Cheiron Hellenic Pagan Site
(1999-2000).
Time and Date (Steffen Thorsen, 1995-2003).
Hellenic Neo-Pagan Calendar (Killaly Barr, 1999).
HMERA (calendário de Atenas, sempre atualizado).
Hellenic Polytheist Notebook (Dennis Dutton, 2003).
Seasonal Festivals of the Greeks (Apollonius Sophistes, 1997).  
Greek and Roman Calendar (Perseus Encyclopedia, 1890).
Ancient Athenian Festival Calendar (Neokoroi, Sarah Winter, 2008).
Khaire - HEMRA (Zoe Hedley, 2007).

---

NOTA SOBRE 2012: Nós continuamos a seguir o calendário do site HMERA nesse ano. A Hellenion, porém, passou a adotar o calendário desenvolvido por alguns membros, que optaram por transferir o mês de Poseidon 2 de um ano para o outro. Isso nos deixou em desincronia na época, mas, como explicado acima, os calendários na antiguidade também eram adaptáveis de acordo com cada pólis. 

Comments