Home‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Sete Teses sobre o Helenismo

Sete Teses Sobre Helenismo
(As teses seguintes constituem-se como exclusivamente do grupo Thyrsos, podendo diferir-se das teses ou crenças de outros grupos helênicos organizados)

Tradução de Diego Vilaça
Revisão de Thiago Oliveira

Helenismo
A palavra helenismo constitui um termo moderno que denota a cosmovisão pagã pré-cristã. Com o termo helenismo, não nos referimos aos cidadãos que têm nacionalidade proveniente do Estado helênico moderno, nem às pessoas de tal origem. O significado de Helenismo engloba todos aqueles que, de livre vontade, escolhem seguir naturalmente a desenvolvida etnia helênica, não monoteísta, e seu modo de pensar. Helenismo, como termo, engloba todo sistema de crenças do período étnico grego que é definido como pré-cristão, cujo início histórico pode ser localizado na Arcádia e na Creta minoica, assim como as crenças daqueles que continuaram a defender essa cosmovisão particular em um período posterior até os dias atuais.

Principais Características
Está claro que a principal característica do Helenismo é sua visão religiosa, isto é, politeísta, que constitui a base sobre a qual a civilização helênica do período pré-monoteísta se desenvolveu, e também é a característica primária sobre a qual podemos nos apoiar para entendermos a cosmovisão helênica. Qualquer tentativa de corte de crenças de culto do Helenismo é um ato de amputação, e qualquer sistema derivado desse ato só pode ser deficiente.

Nível Político
O Helenismo não pode ser um ramo ou não pode depender de qualquer ideologia política moderna específica, visto que ele precedeu todas elas. É impossível para qualquer partido político existente atualmente gerir ou abraçar exclusivamente o Helenismo, uma vez que todos eles devem suas existências a uma escola de pensamento que está há milhas de distância do caminho grego enquanto suas dinâmicas derivam, na melhor das hipóteses, somente de um específico aspecto que eles pegaram emprestado do Helenismo. Qualquer tentativa de identificar o Helenismo com algum partido político específico, seja ele pertencente à direita ou à esquerda, do mais extremo ao mais modesto deles, destina-se à falha, uma vez que suas partes são incapazes elevar o ônus especial do Helenismo e, especialmente, aquela região do Helenismo chamada politeísmo.

Como um Sistema
O Helenismo é filosoficamente revolucionário. Propõe abertamente a disputa e a proibição do modo de vida moderno, pois considera que esse modo priva o ser humano da espiritualidade e da justiça e se baseia quase exclusivamente em uma percepção material e tecnocrática degradante ao humano enquanto ser. Esse modo de vida prática e comprovadamente também priva o humano do desenvolvimento enquanto ser, como resultado do confinamento crônico desse sistema de pensamento. Helenismo não pode ser representado por uma definição, mas ele demanda que cada pessoa assuma sua responsabilidade em toda e qualquer dimensão social e especialmente à dimensão ligada com atividades políticas.

É um dogma?
Se pelo termo dogma estamos nos referindo à etimologia moderna da palavra, que significa um hermético, final e irrevogável sistema de pensamentos que requer certa vista grossa, considerando cada oposição como uma perigosa facção, então é claro, e com grande ênfase, que a resposta é não!
A pletora de ideias, sua diversidade e seu objetivo de cobrir as necessidades sociais em cada diferente momento histórico diferente constituem as pedras-fundadoras do Helenismo, que não é privado de regulamentos sobre a vida ou comportamento, mas eles são destilações de muitas e diferentes escolas filosóficas que tem o ser humano e sua relação com os deuses como centro comum, o ambiente natural (que não consideramos como nossa propriedade, mas, ao contrário, nos consideramos seus hóspedes), a humanidade como uma entidade e o nível de relações interpessoais, e o caráter pessoal de cada pessoa. Os antigos regulamentos podem ser colocados sob disputa, sem medo, se uma nova teoria fornecer argumentos e provas através de um sistema organizado que pode oferecer mais vantagens em favor dos seres humanos e sua relação com todas as correlações feitas acima.
O testemunho de todos esses pontos é fornecido pela existência de várias percepções em diferentes períodos da civilização helênica, que não são separados, mas que fazem o Helenismo completo.

A relação com outras tradições étnicas
Quanto às tradições europeias as quais estamos relacionados tanto historicamente quanto geograficamente, o Helenismo faz o que sempre fez. Ele coexiste e interage, apoiando a criação de uma ampla Europa gentia, que tem seu ponto de partida no paganismo helênico, vai para o o Cultus Deorum romano e depois vai além, a cada e toda outra forma de “paganismo” de todo e qualquer povo em nosso Continente-Mãe Europa.
Dorovante, isso aparece claramente como um fato histórico, desde os séculos que se passaram, os fatos/marcos são conhecidos, e agora temos o conhecimento e a tecnologia necessária para promover a comunicação. Assim, todas as tradições europeias adquirem um parâmetro comum, mas, ao mesmo tempo, elas mantêm suas identidades nacionais essenciais, uma vez que essa característica é a base sobre a qual se sustenta toda a construção.
Fora da Europa, as tradições étnicas não-monoteístas de outras nações são, claramente, muito mais próximas ao caminho helênico do que qualquer sistema cultural não-étnico.

Voltar no tempo?
É natural pensar que o Helenismo é tecnofóbico, ou pede aos seus membros que andem por aí vestindo roupas arcaicas. Algo assim poderia ser uma duplicação romântica, ou, na pior das hipóteses, uma situação psicopatológica. No entanto, a tecnologia bem como a estética é colocada sob um novo ponto de vista no Helenismo.
A tecnologia serve às necessidades humanas, e – mais importante – não se volta contra o ambiente natural que constitui um ser vivo, e não apenas material sem vida, é necessário traçar um paralelo com a sociedade.
Como a estética nas construções, mas também no vestuário e em qualquer outro aspecto, nós definitivamente acreditamos que ela tem que criar a Harmonia e deve Elevar o Espírito, sem ter medo de constantemente propor algo novo e atualizado.
Finalmente, é duplamente errôneo achar que o Helenismo é apenas um fetiche estético para aqueles que não se sentem confortáveis com suas formas de vida e que procuram se esconder dentro de uma concha fora do tempo e do espaço.

Para ver a versão em língua inglesa clique AQUI.