Home‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Ornitomancia - indução e intuição

Segundo Daniel Ogden, em "A Companion to Greek Religion" (2007), existiam dois tipos principais de adivinhação na Grécia Antiga: a indutiva e a inspirada. A adivinhação indutiva se baseava na interpretação de sinais, como o voo dos pássaros que os deuses lançaram no universo para que os homens os decodificassem, e acontecia em qualquer lugar onde tivermos necessidade, desde um campo de batalha até uma comunidade. Já a adivinhação inspirada, acontecia com os deuses acessando diretamente a mente do adivinho, e era normalmente atrelada a um santuário, sendo por isso mais valorizada (na época) do que o primeiro tipo. 

O especialista em adivinhação indutiva era o mântico ("mantis"), enquanto o especialista em adivinhação inspirada era o profeta ("prophetes"). E cada tipo de adivinhação dentro desses dois grandes grupos tinha seus próprios especialistas. 

Entre as adivinhações indutivas, temos, por exemplo: ornitomancia (pássaros), oniromancia (sonhos), cledonomancia (movimentos involuntários do corpo humano, como um espirro, uma palavra ouvida aleatoriamente etc), cleromancia (dados), hieroscopia (entranhas de animais), empiromancia (disposição em que as partes do sacrifício são queimadas), e tantas outras.

Os sinais podem ser eventos surpreendentes, os chamados "prodígios". Heródoto conta de estátuas da Acrópole suando devido à aproximação dos persas, e de uma sacerdotisa na qual cresceu barba quando sua cidade Pedasa foi ameaçada. Os fenômenos celestiais e naturais estavam entre os sinais para os quais se dava mais atenção, principalmente os inesperados, como chuva, raio, trovão, terremoto etc. 

O comportamento dos animais era muito relevante também. A maioria deles pertencia a alguma deidade: a águia de Zeus, o corvo de Apolo, o cervo de Ártemis, a coruja de Atena etc. Todos poderiam ser uma ferramenta divina de interpretação de acordo com o que faziam. Os pássaros em geral aparecem em muitos vasos arcaicos e em textos de Homero e Hesíodo. Eles se movem entre a terra e o nível mais puro do céu, o éter, onde habitam os Deuses e as Musas, sem falar nas almas que desempenham um papel de intermediárias. Os pássaros são mais próximos da natureza e mais sensitivos a energias invisíveis do que os humanos, podendo inclusive prever terremotos. 

Plutarco, em Inteligência dos Animais, escreveu: "O deus imprime vários movimentos neles e arranca gorjeios e gritos deles. Às vezes ele os suspende, às vezes os envia voando em alta velocidade, seja para interromper as ações ou projetos dos homens abruptamente seja para ajudar em suas realizações". Uma inscrição em Éfeso, do século VI ou V AEC, indica os princípios do método de leitura, baseado na oposição 'esquerda-desfavorável x direita-favorável'. 

As mensagens que os pássaros trazem podem variar de pessoa para pessoa. Um pássaro de mau presságio para alguém pode ser um sinal auspicioso ou de boa sorte para outro. Para alguns, a coruja é um sinal de sabedoria, para outros um anúncio de morte de pessoa próxima. Para uma tribo americana, ela era enviada por forças malignas para nos espiar, no entanto, muita gente a usa em bijuterias como uma forma de proteção. Tudo depende da nossa experiência com as aves. 

Também não podemos julgar fatos isolados. Se você pesquisar pelo significado de entrar um pássaro em casa, normalmente vai encontrar coisas dizendo que é um mau presságio. Mas examine a situação: o pássaro entrou na sua casa e passeou calmamente ou ficou tentando se libertar? Que tipo de pássaro é? Ele parecia querer se mostrar pra você? Ele te lembra de alguém que já se foi? Ele tenta sair toda hora? Será que não está te chamando para se libertar dessa caixinha onde você se guarda? É como a carta da Morte no tarô: nem sempre ela significa algo ruim, ela pode significar renascimento, novos começos, libertação. De qualquer forma, se um pássaro entrar na sua casa, não o prenda, ajude-o a sair.

De qualquer forma, você pode se colocar no lugar do pássaro e imaginar uma correlação. Por exemplo, se um pássaro voa para a janela batendo e caindo, talvez você também esteja se dirigindo a algum lugar e vai encontrar uma parede em breve, mas essa parede é de vidro e – como toda janela – ela pode se abrir para outra oportunidade. Se um pássaro lhe segue por onde você vai, talvez ele seja seu guarda-costas, seu guardião, e vale a pena pesquisar sobre aquele pássaro em termos totêmico, como guia espiritual ou a relação dele com uma deidade específica. Se você vê um pássaro morto na estrada ou bate em um, por mais que a morte seja algo ruim talvez isso signifique que a dor vai acabar: a dor do seu coração partido, a dor de estar procurando um emprego... A morte do pássaro pode anunciar o final da sua busca e/ou do seu esforço. 

Na ornitomancia, precisamos observar. A própria palavra "auspício" vem do latim "auspex", "o que observa os pássaros". Os romanos, os celtas, os nativo-americanos, todos usavam uma técnica de observação de pássaros. Em algumas partes da Índia ainda existe adivinhação com corvos. Entre os romanos, os sacerdotes que tiravam presságios do voo, do canto, das entranhas e do apetite dos animais, eram chamados Áugures ou Arúspices. Na hora da leitura, havia uma diferença entre gregos e romanos: os gregos olhavam para o norte, os romanos para o sul. 

Para ler os padrões de voos ou as ações de um pássaro, você tem que refletir naquilo que observa: é uma revoada ou só um pássaro? Em que direção eles estão voando? Estão voando com estabilidade em uma direção ou girando e mudando de rumo ou parecem tumultuados? Que tipo de pássaro é? Eles estão alçando voo mais alto ou estão descendo ao chão? Estão fazendo barulho, cantando alto? Estão voando rápido ou devagar? Há outros pássaros cruzando o caminho do pássaro que você observava? Qual a formação do voo (quando em grupo)?

O psicólogo analítico Carl Jung partia da premissa de que nenhuma ação era acidental ou aleatória, ou seja, que nada era por acaso. Então nossa mente poderia influenciar os pássaros a nos darem sinais que nos ajudassem a ter uma orientação sobre qual caminho seguir ou qual decisão tomar. Mesmo que você não acredite nisso, talvez acredite que a sabedoria inconsciente do consulente já sabe a resposta, mas é incapaz de trazê-la ao consciente sem a ajuda de um sinal externo onde projetar essa resposta. 

Quanto mais você aprender sobre as espécies de pássaros e sobre como eles se comportam, mais fácil também será de combinar a observação natural (da adivinhação indutiva) com seus talentos proféticos (da adivinhação intuitiva). Você poderá conseguir prever mudanças físicas, climáticas, eventos naturais, que – se não soubesse ler os padrões comportamentais dos animais – não conseguiria. 

Seguem abaixo algumas dicas que podem auxiliar na interpretação dos sinais ornitomânticos. A REGRA BÁSICA é: voo da direita para a esquerda = "bom", da esquerda para a direita = "ruim". Pássaro vindo do norte também é "bom", vindo por trás de você é "ruim". Mas, na realidade, a interpretação às vezes depende da pergunta.

ESCUROS / CLAROS:
Uma predominância de pássaros de cor clara que permanecem no chão (ou que chegam pra você) indica que é benéfico agir. 
Pássaros de cor escura sugerem que se atrase a ação, que se aguarde mais, que se espere um melhor momento. 

DIREÇÃO:
Pássaros à direita ou voando para a direita de onde você está indicam passagem suave nos seus empreendimentos e que você pode agir com confiança. Voando para a esquerda sugerem silêncio e espera antes de agir. 
Se o voo é na direção do consulente, indica tempos felizes se aproximando (como um golpe de sorte ou uma bênção). Se o voo é se afastando ou alçando voo sem razão aparente, isso sugere que nos próximos dias é preciso ter tato e cautela, e mais fazer planos do que embarcar em novas aventuras.

ALTURA:
Quanto mais alto o voo, mais favorável o resultado. Se um pássaro voa diretamente para cima, então seu empreendimento deve adquirir um rápido sucesso e requerer pouco esforço pra isso.
Se o voo é horizontal ou se o pássaro fica subindo e descendo, alternando entre pousar e decolar e pousar de novo antes de alçar novo voo, você deve perseverar e não se intimidar pelos obstáculos iniciais. 

MUDANÇA DE CURSO:
Se há mudança repentina de direção no meio do voo e você vê isso, você precisa ficar alerta contra perigos ou ataques-surpresa do seu adversário, ou mesmo se precaver no caso de mudança de planos ou de inconsistências e indecisões vindas de pessoas próximas. Pode inclusive significar que suas próprias dúvidas devem ser reexaminadas. 
Se o pássaro fica pairando (suspenso) no ar, fique também em alerta (suspense) nos próximos dias. 

TIPOS DE PÁSSARO:
ABUTRE/URUBU – Pássaro de Ares.
ÁGUIA – Símbolo auspicioso de poder. Pássaro de Zeus.
ALVÉOLA-CINZENTA/LAVANDEIRA/ARVELINHA – Avistar uma delas é auspicioso, especialmente se estiver vindo da esquerda para a sua direção. Pássaro de Ártemis.
ANDORINHA – Ave muito afortunada também. Simboliza a primavera, a renovação, o renascimento, o despertar. Avistar uma andorinha no começo da primavera é considerado um sinal muito auspicioso. Se a andorinha construir seu ninho na beirada do telhado da casa, isso pressagia sucesso, felicidade e boa sorte para todos os que habitam aquela casa. As andorinhas são sagradas aos Theoi Khelidoi (Deuses Domésticos) e à Afrodite.
BUFO REAL (“eagle owl”) – Pássaro de Ares.
CEGONHA – Um pássaro muito auspicioso. Em vários países a cegonha é encorajada a fazer ninho no telhado de casa, sendo considerada uma ave sagrada. No mito, Hera transformou a bela rainha etíope Gerana em uma cegonha quando esta se gabou de ter um cabelo mais bonito do que o dela.
CODORNA – Ver uma codorna de lado (seja de que lado for) ou ouvir um piado de codorna é considerado auspicioso, de boa sorte. É um pássaro de Hefesto e também da deusa Leto.
CORVO – Observar um corvo empoleirado à direita ou voando para a direita é considerado como auspicioso, exceto se ele estiver cruzando o seu caminho. No geral, o corvo não é considerado um bom presságio, mas considere outras variáveis na situação. Pássaro de Apolo e de Hécate. 
CORUJA – Pássaro de Atena. 
CUCO – Escutar o canto do cuco vindo da direita significa prosperidade próxima. Pássaro de Hera e de Zeus.
FALCÃO – Pássaro de Apolo e de Hermes.
GAIVOTA – Se uma gaivota pousa em um navio onde se está viajando ou se vai viajar, ela antecipa uma viagem feliz e afortunada. Pássaro de Poseidon. 
GALO – Se você ouve um galo cantando na mesma hora em que você estava pensando no seu problema, isso é algo considerado de boa sorte. É um pássaro de Asclépio e de Leto.
GANSO e CISNE– Os romanos foram alertados por gansos sobre o silencioso ataque bárbaro à capital, e desde então eles são considerados como indicação de cautela ou de prevenção contra o advento de inimigos secretos. O ganso é um pássaro de Afrodite, mas eventualmente ela aparece sobre um cisne, que é um pássaro de Apolo e de Zeus. O cisne, por sua vez, é um símbolo de prestígio, riqueza, liberdade, pureza e vida eterna.
MELRO/PINTARROXO/TORDO – Vê-lo perto de casa em um jardim anuncia boa fortuna aos habitantes da casa. Se ele se retira para um buraco, pode indicar tempestade próxima. 
PARDAL – Pássaro de Afrodite.
PATO – Ouvir um pato grasnar é auspicioso, indicando prosperidade próxima. Se você olhar um pato voar, também é um bom sinal, principalmente se você estiver preocupado ou triste. 
PAVÃO – Bom presságio. Se ele abre a cauda diante de você, felicidade e prosperidade estão garantidas. Levar as penas dele para casa às vezes era considerado de mau agouro, porque se acreditava representar o olho do mal, mas - se você considerar como o olho que espanta o mau-olhado - então pode virar um amuleto de proteção. Pássaro de Hera.
PICA-PAU – Também auspicioso. Encontrar um indica sucesso definitivo. Pássaro de Ares. 
POMBA/POMBO – Amor, felicidade, alegria conjugal. Pássaro de Afrodite e de Eros. Porém, se avistado um pombo branco voando em torno de uma casa, anuncia algum impedimento ou entrave no casamento (ou na sociedade) de um dos habitantes dali.
UIRAPURU – Avistar um desses pequeninos é uma promessa de boa sorte.

Espero que você também tenha boa sorte nas suas novas experiências de observar os pássaros como forma de oráculo.

(Alexandra, 31/05/2014)

Comments